12/3/21 10:01
Atualizado em 12/3/21 às 15:35

Conplan aprova projeto da rota cultural e turística na Vila Planalto

Benefícios incluem obras de urbanização, drenagem, sinalização turística, entre outros 

Foto: Arquivo | Agência Brasília
Ao longo do percurso que passa pelas ruas internas da Vila, o projeto traz o conceito de rua compartilhada, em que o espaço urbano é prioritário para pedestres e ciclistas| Foto: Arquivo Agência Brasília

O Conselho de Planejamento Territorial Urbano do Distrito Federal (Conplan) aprovou, por ampla maioria de votos, a primeira etapa do projeto do Percurso Turístico Cultural da Vila Planalto, que vai requalificar o espaço com obras de urbanização, drenagem, iluminação pública e sinalização turística e cultural.

Durante uma reunião virtual realizada nesta quinta-feira (11) pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), 31 conselheiros votaram a favor da proposta, que promete valorizar a história da construção de Brasília.

“Esse é um projeto de grande importância para o resgate e a valorização histórica da Vila Planalto. Como tem sido feito com outros setores centrais da capital federal, como as obras do Setor Comercial Sul, Setor de Rádio e TV Sul e W3 Sul, que já estão em andamento, com base em projetos elaborados pela Seduh”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Mateus Oliveira.

A primeira fase do projeto contempla 1,24 quilômetros de trajeto, que começa na antiga via L4, do balão da entrada da Vila, que constitui a rua de acesso ao Acampamento Tamboril. Percorre a parte interna da região, pela Rua 1, Rua DFL, Rua Emulpress, Rua Israel Pinheiro até o início da Praça Nelson Corso.

Ao todo, a rota cultural e turística da Vila foi dividida em três fases, que somam 2,69 quilômetros. Terá início e fim nos arredores da tradicional Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Pompéia, um marco cultural e arquitetônico da Vila Planalto, fundada em 2 de abril de 1959 | Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

Conforme a proposta, ao longo do percurso que passa pelas ruas internas da Vila, o projeto traz o conceito de rua compartilhada, em que o espaço urbano é prioritário para pedestres e ciclistas, mas onde veículos motorizados também serão permitidos. Essas ruas passam a operar em sentido único, para reduzir os conflitos. Para isso, haverá sinalização de trânsito mostrando a redução no limite de velocidade.

“Locais como Inglaterra, Estados Unidos e Holanda usam esse modelo de rua compartilhada. Em Londres, fizeram essa transformação em um trecho central da cidade e verificaram a redução de 40% no número de acidentes. Com a rua compartilhada, o carro reduz a velocidade porque percebe que lá ele não é prioridade”, informou a coordenadora de Projetos da Seduh, Anamaria de Aragão.

Relator do projeto, o conselheiro Wilde Cardoso, da Associação Civil Rodas da Paz, elogiou a relevância da proposta, especialmente no sentido da rua compartilhada revitalizar as calçadas e torná-las espaços mais adequados aos pedestres e ciclistas.”Para que as pessoas que já utilizam as ruas possam ter um ambiente acessível, seguro, adequado, confortável. Ou seja, tudo aquilo que qualquer cidadão deve exigir”.

Outras melhorias

“Locais como Inglaterra, Estados Unidos e Holanda usam esse modelo de rua compartilhada. Em Londres, fizeram essa transformação em um trecho central da cidade e verificaram a redução de 40% no número de acidentes. Com a rua compartilhada, o carro reduz a velocidade porque percebe que lá ele não é prioridade,” Informou a coordenadora de Projetos da Seduh, Anamaria de Aragão

O projeto ainda contempla: o nivelamento de calçadas e faixas de rolamento; pisos táteis para melhorar a acessibilidade; arborização ao longo do percurso; mobiliário como bancos, paraciclos, lixeiras; e totens com sinalização turístico cultural, seguindo os moldes do Plano Diretor de Sinalização do Distrito Federal.

Também é prevista a implantação de redes de drenagens para reduzir problemas de alagamentos, a qualificação dos espaços urbanos e desenvolvimento social e turístico.

Ao todo, a rota cultural e turística da Vila foi dividida em três fases, que somam 2,69 quilômetros. Terá início e fim nos arredores da tradicional Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Pompéia, um marco cultural e arquitetônico da Vila Planalto, fundada em 2 de abril de 1959.

“A Vila Planalto é uma área muito importante para todos nós. É o marco inicial da construção de Brasília e, apesar dos problemas na conservação das edificações originais, tem uma ambiência de cidade do interior, e é um exemplo de resgate histórico que deve ser preservado”, ressaltou a secretária executiva da Seduh, Giselle Moll.

Ligação emotiva

A ligação emotiva com toda a história da Vila Planalto foi trazida pelo secretário de Cultura e Economia Criativa, Bartolomeu Rodrigues, um dos relatores do projeto e membro do Conplan. Em tom poético, enalteceu a importância do local para a capital federal.

“Evocando a memória de tantos personagens históricos que viveram e vivem lá, ajudando a preservar a memória daquelas moradias, sons, sabores cheiros e sensações, que se a gente fizer um esforço até pode ver Deus trocando um dedo de prosa com um sabiá-laranjeira ali no quintal. Nesse tom, é que votamos pela aprovação do projeto”, declamou Rodrigues.

As palavras do secretário emocionaram a conselheira e representante da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília (FAU-UnB), Gabriela Tenório, já que seu pai viveu na Vila Planalto por quase 20 anos. “É um lugar muito importante, e as pessoas que estão lá deveriam ser exaltadas. E pelas razões turísticas, isso mostraria todas as belas camadas que a Vila tem e o momento atual que ela vive também”, comentou.

Ovídio Maia, um dos conselheiros que votou a favor da proposta e representante da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF), parabenizou a todos os envolvidos do GDF pelo projeto. “É uma aula de preservação, bem estar e tudo mais em prol da sociedade. Ganhamos todos. Os relatores criaram um novo olhar para a requalificação dos espaços públicos. Um dia memorável”, elogiou.

* Com informações da Seduh