25/3/21 14:45
Atualizado em 25/3/21 às 14:55

Mais de R$ 2,7 mi destinados a novos empreendimentos

Fundação de Apoio à Pesquisa do DF lança programa para beneficiar cerca de 400 startups e movimentar negócios locais

Lançado esta semana, o programa Startup Brasília 2030 (SB2030) será operado pela Brasil Startups (antiga Asteps), instituição credenciada no Programa de Aquecimento do Ecossistema de Inovação do DF excutado pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF). O principal objetivo é estimular a inovação aberta e aproximar empreendedores dos atores-chave para estimular negócios inovadores em áreas como saúde, finanças, educação, soluções de governo e segurança, entre outras áreas estratégicas.

O SB2030 pretende beneficiar cerca de 400 startups e empreendedores, oferecer talentos para os bancos de profissionais de 18 investidores e movimentar negócios locais de cerca de 50 prestadores de serviços especializados, como coworkers, programadores, advogados, jornalistas.

Nós acreditamos que temos que ser protagonistas nesse processo de integrar o setor produtivo, a academia e o governo, pois acreditamos que apenas com esse trabalho integrado é que conseguiremos impulsionar não apenas a inovação, mas a ciência, a tecnologia, o desenvolvimento econômicoMarco Antônio Costa Júnior, diretor-presidente da FAP-DF

O SB2030 conta com investimento de R$ 2.779.519,00 da FAP-DF, no âmbito do Programa de Animação do Ecossistema de Animação do DF. No total, o Programa de Animação tem um orçamento de R$ 15 milhões.

Durante o lançamento transmitido pelo Youtube, o diretor-presidente da  FAP-DF, Marco Antônio Costa Júnior, destacou a importância do projeto para a capital federal. “Estamos honrados em promover o nosso Programa de Animação do Ecossistema de Inovação e, dentro dele, poder apoiar iniciativas como o SB2030. Nós acreditamos que temos que ser protagonistas nesse processo de integrar o setor produtivo, a academia e o governo, pois acreditamos que apenas com esse trabalho integrado é que conseguiremos impulsionar não apenas a inovação, mas a ciência, a tecnologia, o desenvolvimento econômico. Acreditamos no sucesso do projeto e esperamos que todos os relevantes resultados esperados pela equipe do Startup Brasília 2030 sejam não apenas atingidos, mas superados, para que tenhamos um ecossistema de inovação cada vez mais vibrante e produtivo para que o Distrito Federal se transforme em um polo gerador de inovação”, afirmou.

O presidente da  Brasil Startup, Hugo Giallanza, também ressaltou a importância do trabalho colaborativo para o sucesso das iniciativas de inovação aberta e empreendedorismo e explicou como a metodologia do programa vai funcionar para promover essas conexões.

“Vamos realizar 45 meetups divididos em quatros drives de inovação [Fintech, Edutech, Healthtech e Govtech] para levar conhecimento sobre empreendedorismo inovador a todo o Distrito Federal”, anunciou o gestor. “Também vamos realizar, ao longo dos próximos meses, capacitações para formar mão de obra qualificada que deverá subsidiar as empresas que virão a se instalar no DF, gerando sustentabilidade para o ecossistema. Também vamos promover matchmakers para aproximar empresas e investidores, além do nosso grande diferencial: estamos criando o primeiro fundo patrimonial do empreendedorismo do futuro para captar recursos, por meio de doações, para nutrir as iniciativas que vão surgir em Brasília.”

*Com informações da FAP-DF