28/3/21 13:53
Atualizado em 8/4/21 às 13:03

Vídeo leva conforto e informação a pacientes com câncer

Produzidas pela Rede Feminina, mensagens exibidas na TV ajudam enfermos e familiares no Hospital de Base a entender e a enfrentar a doença

Tempo de medicação passou a ser usado, também, para a exibição de conteúdo informativo | Foto: Divulgação/Iges-DF

Com o vídeo, os pacientes passaram a conhecer informações úteis durante o tempo em que recebem medicaçãoDaniel Girard, chefe da Oncologia do Hospital de Base

Um vídeo informativo sobre o câncer, os tipos de tratamento da doença e seus efeitos colaterais começou a ser exibido nesta quinta-feira (25) na Sala de Quimioterapia do Hospital de Base (HB). A ideia é levar informações e conforto aos pacientes de Oncologia Clínica para que eles se sintam mais seguros durante o tratamento.

Idealizado pela Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brasília em parceria com o Serviço de Oncologia do HB, o vídeo é apresentado diariamente, nos turnos da manhã e da tarde. Depois de conseguir as doações das televisões e instalá-las, a entidade colocou a ideia em prática.

Segundo o chefe da Oncologia do HB, Daniel Girardi, alguns pacientes chegam a ficar até seis horas na sala recebendo medicação. “Com esse tempo, eles podem aproveitar para ouvir informações úteis sobre o câncer”, comenta o médico. “E reconhecer o que é esperado ou não sentir, sabendo quando devem procurar um pronto-socorro, por exemplo”, acrescenta.

“A gente percebeu que eles se distraíam com conteúdos televisivos e não se interessavam tanto em ler nossas cartilhas explicativas sobre o câncer” Vera Lúcia Bezerra, coordenadora da Rede Feminina

Minuciosa observação

O vídeo também reúne detalhes sobre a rede de apoio existente no HB para acolher os pacientes oncológicos e melhorar a qualidade de vida deles, como os trabalhos oferecidos pelos grupos voluntários Rede Feminina e Movimento de Apoio ao Paciente com Câncer (MAC).

A decisão por produzir o material educativo audiovisual veio a partir de uma longa e minuciosa observação enquanto os pacientes recebiam as medicações. “A gente percebeu que eles se distraíam com conteúdos televisivos e não se interessavam tanto em ler nossas cartilhas explicativas sobre o câncer”, relata a coordenadora da Rede Feminina, Vera Lúcia Bezerra.

“Com isso, tivemos a ideia de fazer o vídeo e tornar as informações mais acessíveis”, completa Vera. A iniciativa da transmissão do vídeo recebe apoio do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), que administra o hospital.

*Com informações do Iges-DF