29/3/21 19:25
Atualizado em 29/3/21 às 19:25

Fiéis oram por pacientes na rede de saúde do DF

Respeitando o distanciamento social e usando máscaras, evangélicos promovem ato religioso simultâneo em hospitais e UPAs

As orações começaram simultaneamente às 16h e duraram apenas 15 minutos | Foto: Iges/DF
“Estendemos as mãos em cada um desses locais para que Deus venha e traga conforto e esperança para todos” Antônio Neto, pastor

Grupos de evangélicos fizeram orações em frente a diversos centros hospitalares da rede pública de saúde do Distrito Federal, inclusive nas oito unidades administradas pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF), inclusive as unidades de pronto atendimento (UPAs). Eles orara pela recuperação das vítimas da covid-19 e pela proteção dos profissionais que estão na linha de frente no combate à pandemia.

As orações foram realizadas nesse domingo (28). Começaram simultaneamente às 16 horas e, por questão de segurança sanitária, duraram apenas 15 minutos. Com as mãos erguidas, eles rezaram em solidariedade aos enfermos e aos trabalhadores dos hospitais. Todos, jovens e adultos, usavam máscaras e mantiveram distância uns dos outros.

“Foi muito gratificante receber essa homenagem. Tinha gente em todos os cantos para que ninguém ficasse sem a bênção”Úrsula Naiara, gerente da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São Sebastião

Conforto da oração

O pastor Antônio Neto era um dos líderes da manifestação em frente ao Hospital Regional da Asa Norte (Hran). “Nós estamos enfrentando um momento difícil, com todas as unidades superlotadas devido a casos de covid-19”, alertou o pastor. “Além da doença, outras enfermidades acometem os moradores do DF. Estendemos as mãos em cada um desses locais para que Deus venha e traga conforto e esperança para todos.”

Na UPA de São Sebastião, cerca de 50 religiosos cercaram o prédio. A gerente da UPA, Úrsula Naiara, assistiu ao ato por uma das janelas do prédio. “Foi muito gratificante receber essa homenagem”, declarou, comovida. “Tinha gente em todos os cantos para que ninguém ficasse sem a bênção.”

Durante o ato religioso, não foi registrado qualquer incidente que pudesse prejudicar o atendimento aos pacientes. A manifestação, da forma organizada como ocorreu, foi considerada positiva pelos profissionais de saúde, uma vez que, segundo eles, orações confortam, renovam as esperanças e fortalecem o trabalho daqueles que estão na linha de frente para salvar vidas.

*Com informações do Iges-DF