1/4/21 8:25
Atualizado em 1/4/21 às 17:41

PMDF seleciona militares para treinamento tático com motos

Trinta policiais serão capacitados pela Rotam em técnicas de pilotagem, escolta e tiro

Aprovados em processo interno terão aulas com veículos de 250 a 800 cilindradas | Foto: Divulgação/PMDF

Pilotar uma motocicleta já não é considerada uma tarefa fácil. Imagine ter que guiá-la portando um equipamento pesado, precisando trocar de terreno rapidamente e em alta velocidade? É focado nesses aspectos técnicos da pilotagem que a Polícia Militar (PMDF) vai oferecer, entre 23 de abril e 18 de junho, o Curso de Motociclista Policial 2021 — Nível Misto, promovido pelo Batalhão de Policiamento Tático Motorizado (Rotam).

Para preencher as 30 vagas para a capacitação, a PMDF vai realizar um processo seletivo interno. No curso, os policiais têm oficinas de técnicas de pilotagem em ambiente urbano e rural, de técnicas de escolta, de abordagem policial em motocicletas, de tiro embarcado e instruções teóricas sobre legislação de trânsito.

Cilindradas robustas

Para as aulas práticas de pilotagem, a PMDF vai ofertar 45 motos para os alunos e instrutores. Além disso, os veículos também serão diferentes, variando de modelos entre 250 cilindradas, para instruções básicas, até motos mais robustas, de 600 e 800 cilindradas, usadas em escoltas e outras atividades de policiamento.

“A moto é um veículo facilitador. Com as competências agregadas no curso, conseguimos, por meio dela, transitar mais facilmente em terrenos diferentes, ser mais ágil em perseguições, facilitando o acompanhamento de infratores que estejam fugindo a pé ou de bicicleta” Capitão Anderson Corrêa, comandante do Grupo Tático de Ações Motociclísticas

O coordenador do curso e comandante do Grupo Tático em Ações Motociclísticas, capitão Anderson Corrêa, ressalta os benefícios práticos que as técnicas ensinadas durante as oficinas trazem para os policiais: “A moto é um veículo facilitador. Com as competências agregadas no curso, conseguimos, por meio dela, transitar mais facilmente em terrenos diferentes, ser mais ágil em perseguições, facilitando o acompanhamento de infratores que estejam fugindo a pé ou de bicicleta”.

Além da agilidade, as motocicletas também garantem um policiamento mais efetivo para a corporação, e o curso da ROTAM enaltece essas qualidades que são vitais para as políticas de segurança pública. “As técnicas ensinadas direcionam o policiamento no sentido de se evitar acidentes, aumentando a eficiência das ações nas ruas. A própria moto em si é um veículo de manutenção mais barata, e o motopoliciamento também é mais eficiente no ponto de vista do custo benefício”, destaca o Capitão Corrêa.

Tendência nas grandes cidades 

O subcomandante da Rotam, major Cabele, reforça a importância da capacitação para o trabalho realizado pelo Batalhão. “Essa modalidade de policiamento, em motocicleta, é extremamente eficiente e uma tendência em todas as grandes cidades”, afirma. “É muito importante manter esses efetivos capacitados, pois a exposição a riscos em cima de uma moto é muito maior. O nosso curso é de referência nacional”.

Em sua maioria, as oficinas do curso são ministradas em espaços abertos, como pátios ou estacionamentos. Para as aulas que serão iniciadas em abril, a PMDF solicitou uma área próxima do Estádio Nacional de Brasília ou um dos estacionamentos do complexo da Adasa, na antiga Rodoferroviária, para as aulas.