10/4/21 16:47
Atualizado em 10/4/21 às 16:47

Cães e gatos estão aptos para adoção na Zoonoses

Em 2020, foram 516 animais adotados no canil e no gatil da Vigilância Ambiental; atualmente, há 24 à espera de um novo lar

 

Todos os animais disponíveis para adoção se encontram livres de doenças | Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

Para muita gente, ter um animal de estimação em casa pode servir de proteção e segurança, mas, em alguns casos, a companhia do pet é muito mais do que isso. Com o passar dos anos, eles se tornam membros da família, são fiéis e amáveis com seus donos e boas companhias para idosos e crianças. Que tal adotar um?

“Aqui os animais são tratados, vermifugados e vacinados” Rodrigo Menna, diretor da Zoonoses

O canil e o gatil da Gerência de Zoonoses da Secretaria de Saúde possuem 24 animais para adoção, sendo 20 cães e quatro gatos. Em meio à pandemia e a uma rotina de isolamento social, ter a companhia de um pet pode ajudar a reduzir a solidão e a trazer alegria para a casa.

O diretor da Zoonoses, Rodrigo Menna, explica que todos os animais que chegam até o local são diagnosticados e tratados. Muitos deles são encaminhados por veterinários já com diagnóstico – alguns com leishmaniose e cães em observação de raiva. Entretanto, todos os que se encontram disponíveis para adoção estão livres de doenças e aptos para ganhar um novo lar.

O estado de saúde dos animais é minuciosamente verificado, explica Rodrigo. “Aqui os animais são tratados, vermifugados e vacinados. Nos cães, são feitos exames de leishmaniose visceral, além de aplicação de vacina antirrábica e vermífugo. Já nos felinos, é feito o exame de VIF (Vírus da Imunodeficiência Felino), com vacina e vermífugo, e só então eles são oferecidos à comunidade em forma de adoção.”

Mais adoções

Em 2020, a Gerência de Zoonoses acolheu 819 animais, sendo 662 cães e 157 gatos. Deste total, 405 cães e 111 gatos já foram doados. Com a pandemia de covid-19, o número de adoções cresceu no DF. Entre janeiro e setembro de 2020, o número de adoções foi maior que o dobro do registrado em todo o ano anterior, quando a pandemia não havia chegado ao país.

Para adotar um pet, é preciso fazer um cadastro no site da Zoonoses, participar de uma entrevista e ser maior de 18 anos. Após esses três passos, o interessado pode visualizar as fotos dos animais que estão disponíveis para adoção e, gostando de algum deles, agendar a visita para conhecer seu futuro amiguinho.

Após a adoção, para retirar o animal, após, basta levar documento de identidade, CPF, uma coleira – no caso de adoção de um cãozinho – ou caixa apropriada, se for um gato. O responsável pela adoção do animal deverá assinar um termo de responsabilidade se comprometendo a cuidar do animal.

A adoção deve ser uma atitude pensada e acordada com toda família, pois é responsabilidade de todos proporcionar ao animal carinho, alimentação e cuidados.

Gostou da ideia? Informe-se sobre os procedimentos no site da Zoonoses.

*Com informações da Secretaria de Saúde