5/5/21 18:09
Atualizado em 5/5/21 às 22:39

Moradores vão debater percurso turístico e cultural

População de Planaltina poderá apresentar propostas ao projeto em até 45 dias

Os moradores de Planaltina vão criar um comitê formado pela comunidade local, para apresentar sugestões ao projeto do Percurso Turístico e Cultural do Setor Tradicional da cidade. O pedido da população foi atendido pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) na audiência pública virtual promovida pela pasta na noite dessa terça-feira (4).

Durante as três horas de debate, a equipe da Seduh apoiou a solicitação, juntamente com a Administração Regional de Planaltina, que será responsável por receber, em até 45 dias, um relatório com as considerações finais da população sobre o projeto. O trabalho prevê desde a ampliação das calçadas à melhoria na acessibilidade e na arborização urbana do centro histórico.

Projeto do Setor Tradicional de Planaltina prevê melhorias urbanas, como iluminação, arborização e calçadas | Imagem: Seduh / Divulgação
“É importante aproveitar esse momento para que todos apresentem propostas, sugestões e ideias. Acima de tudo, que todos conheçam esse projeto de valorização e resgate dessa área tão importante” Mateus Oliveira, secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação

Diálogo aberto

Para o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Mateus Oliveira, ouvir a sociedade é um passo essencial para requalificar e trazer melhorias ao Setor Tradicional.

“É importante aproveitar esse momento para que todos apresentem propostas, sugestões e ideias. Acima de tudo, que todos conheçam esse projeto de valorização e resgate dessa área tão importante para o DF, que é esse percurso em Planaltina”, avaliou o secretário.

O objetivo é garantir a participação de todos os moradores na requalificação do espaço público, que terá iluminação pública, mobiliário urbano especial e a sinalização turística no entorno dos monumentos históricos da região administrativa, a exemplo da Igreja São Sebastião e o do Museu Histórico.

“Em função das solicitações de criar um comitê para fazer sugestões ao projeto, não vemos nenhum impedimento. Vocês podem se organizar e encaminhar as propostas. Depois dessas considerações, podemos marcar uma nova reunião para apresentarem suas solicitações”, afirmou a subsecretária de Desenvolvimento das Cidades da Seduh, Janaína Vieira.

“É uma boa oportunidade de receber investimentos que darão a sensação de bem-estar e beleza urbana” Aron Neves, representante do Comitê de Turismo de Planaltina

O administrador regional de Planaltina, Célio Rodrigues, concordou com a iniciativa e recomendou que representantes dos conselhos de Cultura e Patrimônio da cidade também estivessem no comitê. “O diálogo está aberto. Gostaria que as entidades interessadas procurassem a administração e se inscrevessem para fazermos o chamamento”, pontuou.

 

Praças vão ganhar nova iluminação no Setor Tradicional | Imagem: Seduh / Divulgação

Marco

“Esse debate é um marco na história de Planaltina”, elogiou o historiador e morador da cidade, Robson Eleutério, autor do livro História de Planaltina em Documentos. “O projeto é um passo importante e proponho que esse comitê seja formado por entidades que já tenham algum trabalho no Setor Tradicional”, opinou.

Quem também aprovou a criação do comitê foi o representante do Comitê de Turismo de Planaltina, Aron Neves, que se mostrou a favor do projeto apresentado pela Seduh. “Ele valoriza nosso centro histórico e agrega valor ao destino de Planaltina, respeita o caminhante e moderniza a forma de explorar a cidade. E é uma boa oportunidade de receber investimentos que darão a sensação de bem-estar e beleza urbana”, destacou.

Algumas dúvidas sobre o projeto também foram apontadas pela população. Entre elas, a responsabilidade pela pintura dos casarões; a proposta de quiosques no local; se o coreto ficará em uma estrutura removível no palco existente ou se será permanente; e se o parquinho mudará de localização. “Penso que esse comitê seja de suma importância para aparar essas arestas”, disse a professora Naiara Pereira.

Morador ilustre da região, o deputado distrital Claudio Abrantes aproveitou a reunião para elogiar a oportunidade de a população estar debatendo pela primeira vez um projeto viável para o Setor Tradicional. “A Seduh tem sido uma parceira de Planaltina. A partir dessas discussões, vamos poder nos posicionar e ajudar”, comentou.

Conjuntos urbanos serão recuperados com mais espaço para o lazer da comunidade | Imagem: Divulgação / Seduh

Turismo

Também presente na audiência pública, a secretária de Turismo do Distrito Federal, Vanessa Mendonça, elogiou o projeto elaborado pela Seduh para valorizar os potenciais turísticos de Planaltina, seja religioso, cultural, histórico, ecológico e gastronômico.

“Esse projeto vem ao encontro ao que acreditamos, que é colocar Planaltina em um lugar que é dela de destino turístico, pela sua história e tudo que ela representa”, afirmou Vanessa Mendonça. “Poder requalificar esses espaços transforma a vida das pessoas, gera emprego e renda, e traz luz a esse monumento que é a cidade de Planaltina”, completou.

Recuperação de conjuntos urbanos

O projeto para o Setor Tradicional de Planaltina é uma resposta à estratégia de recuperação de conjuntos urbanos prevista no Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot). O percurso turístico e cultural compreende o trecho de entrada da Avenida Goiás até a Praça Cel. Salviano Monteiro, a Rua Salvador Coelho e a Praça São Sebastião.

Na Praça Cel. Salviano Monteiro, a prioridade é recuperar o visual original do espaço em direção à Igreja Matriz, do período em que a praça estava dividida em duas pela Avenida Goiás. O desenho do projeto, elaborado para o local na década de 1980, também foi preservado, assim como as melhorias realizadas em 2018.

Pedestres

Além disso, soluções como a do conceito de rua compartilhada, em que o espaço urbano é voltado para pedestres e ciclistas, está sendo debatida e também que veículos motorizados também serão permitidos.

Na Rua Salvador Coelho, que liga a Praça Cel. Salviano Monteiro e a Praça São Sebastião, propõe-se uma faixa verde em um dos lados da via, que funcionará como guia de balizamento para deficientes visuais. Faixas de dois metros em concreto armado foram sugeridos nas laterais para limitar visualmente o espaço do carro, pois a rua estará nivelada.

A rua que chega à Igreja São Sebastião, que atualmente é utilizada por autoescolas para treinamento de aprendizes, será transformada em um grande calçadão. O objetivo é intensificar o visual lateral da igreja com um desenho de piso que coloque o monumento como ponto focal.

Conforme o parecer técnico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) – responsável pelos bens tombados na área –, o projeto respeita os critérios de ambiência, visibilidade e autenticidade. Considera, ainda, as edificações históricas remanescentes e, consequentemente, a leitura de conjunto.

Toda a informação necessária para subsidiar o debate, como o memorial descritivo do projeto, está disponível no site da Seduh.

*Com informações da Seduh