15/5/21 14:51
Atualizado em 19/5/21 às 10:00

Moradores de Planaltina ganham internet nas feiras

Serviço vai ajudar a potencializar as vendas. Programa de governo já chegou a 50 pontos e contabiliza mais de 55 milhões de acessos

As quatro principais feiras de Planaltina (Confecções, Utilidades, Hortifrutigranjeiros e Produtor) vão contar com internet gratuita ainda este mês. Elas serão contempladas pelo programa Wi-Fi Social, da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), que vai levar conexão a mais de 1,4 mil feirantes e cerca de 40 mil pessoas que frequentam esses espaços semanalmente.

O serviço de Wi-Fi Social garante o direito à privacidade individual, à neutralidade da rede e à proteção de dados pessoais | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Lançado em 2019, o Wi-Fi Social é um dos instrumentos de inclusão social em andamento pelo Governo do Distrito Federal. Agora,  caminha em direção a Planaltina para levar conhecimento aos moradores da cidade. Antes mesmo de as feiras receberem as antenas para instalação da internet gratuita, quem trabalha como feirante agradece.

“O Wi-Fi social vai fazer toda a diferença para nós. A feira de confecções e utilidades, por exemplo, fica localizada no setor educacional, onde está a biblioteca Monteiro Lobato e dois centros educacionais e com certeza vai ajudar muito. Fará diferença para os alunos fazerem pesquisas, sobretudo aqueles que não dispõem de internet em casa”, argumenta o presidente da Feira de Confecções e Utilidades de Planaltina, Francisco das Chagas.

O Projeto Wi-Fi Social DF está instalado em 50 pontos em todo o Distrito Federal e já contabilizou mais de 55 milhões de acessos

Outro ponto de destaque, segundo Chagas, é a possibilidade de os clientes poderem fazer um pagamento on-line e até usar aplicativos para transporte com o uso de wi-fi. Para o administrador de Planaltina, Célio Rodrigues, com o Wi-Fi Social, as feiras de Confecções, de Utilidades, de Hortifrutigranjeiros e do Produtor têm muito a ganhar.

“São lugares de grande fluxo de pessoas. A internet vai facilitar a atividade dos feirantes para concluir suas vendas e pagamentos. Além disso, possibilita ampliarem suas vendas para o on-line”, prevê o administrator. “Isso pode gerar ganhos econômicos para os trabalhadores e a possibilidade de ampliação de negócios”, visualiza.

O projeto 

Para se conectar ao Wi-Fi Social é preciso fazer um cadastro com nome, e-mail, número de celular e CPF. A alternativa é acessar por meio do login em plataformas de redes sociais

O Projeto Wi-Fi Social DF está instalado em 50 pontos em todo o Distrito Federal e já contabilizou mais de 55 milhões de acessos. Segundo o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Gilvan Máximo, em 2021, serão pelo menos 100 novos pontos entregues, inclusive todas as feiras da capital. “É um wi-fi de alta qualidade, que faz até chamadas de vídeo e baixa boletos. Nossa meta é ter 200 pontos fixos com internet gratuita no DF até 2022”, estipula.

Além do Wi-Fi Social, o governo trabalha em melhorias para essas feiras. Na Feira de Hortifruti, foi feito o cercamento para trazer mais segurança e proteção. Está em curso a reforma do telhado e drenagem desta mesma feira. Já as feiras de Confecções e Utilidades tem projeto na Novacap para reforma dentro do programa Feira Legal.

Como se conectar

Para se conectar ao Wi-Fi Social é preciso fazer um cadastro com nome, e-mail, número de celular e CPF. A alternativa é acessar por meio do login em plataformas de redes sociais.

O serviço garante o direito à privacidade individual, à neutralidade da rede e à proteção de dados pessoais. O custo de instalação e manutenção das redes é de responsabilidade das empresas credenciadas no programa.