17/5/21 15:31
Atualizado em 17/5/21 às 16:50

Justiça lança campanha ‘O caminho da prevenção’ nesta terça

Ação tem foco no Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

A Subsecretaria de Políticas para Crianças e Adolescentes (Subpca), que integra a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), lança nesta terça (18), às 17h, a campanha O caminho da prevenção. O evento, que será apresentado no canal do YouTube da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), conta com a participação das coordenações de Promoção de Políticas para Crianças e Adolescentes e do Centro Integrado 18 de Maio.

“Para garantir a proteção e o cuidado, devemos pensar em políticas públicas efetivas, envolvendo todos em rede de apoio qualificada e eficaz” Marcela Passamani, secretária de Justiça e Cidadania

O objetivo  é divulgar informações sobre  prevenção da violência sexual contra crianças e adolescentes no Distrito Federal. Por meio de materiais educativos, a campanha vai sensibilizar a sociedade acerca da importância de denunciar, além de chamar a atenção para o uso correto da internet. Também serão revelados os dados do diagnóstico dos dados da violência sexual no DF, dispostos em estudo pela Subpca e pela Codeplan.

Arte: Divulgação/Sejus

A data foi escolhida por representar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.  Haverá atividades de mobilização social, com foco na prevenção à violência sexual e divulgação dos canais de denúncia, como o 125.

A secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani, destaca: “Promover espaços de diálogos contribui com a não violação de direitos de meninas e meninos do DF. E, para garantir a proteção e o cuidado, devemos pensar em políticas públicas efetivas, envolvendo todos em rede de apoio qualificada e eficaz”.

Questões sociais

“Escute, converse, acolha e oriente sempre. Esse é o caminho da prevenção” Fabiana Gadelha, subsecretária de Políticas para Crianças e Adolescentes

Por sua vez, o presidente da Codeplan, Jean Lima, lembra: “Para proteger as vítimas, é necessário compreender que os seus principais algozes são pessoas íntimas, de sua convivência social. Por isso, pesquisas e diagnósticos como esse são fundamentais para que se entendam as questões sociais e culturais que envolvem o tema e como trabalhá-las com políticas públicas eficazes, capazes de reduzir a vulnerabilidade de crianças e adolescentes”.

Na avaliação da subsecretária de Políticas para Crianças e Adolescentes e presidente do Conselho para Crianças e Adolescentes, Fabiana Gadelha, é importante dar atenção aos relatos de crianças e adolescentes sobre esse tema. “Com essa campanha, queremos chamar a atenção para toda a toda a sociedade brasiliense: nós precisamos escutar mais o que as crianças e adolescentes nos dizem, acreditar no que falam, especialmente em situações que envolvem violência sexual”, pontua. “Escute, converse, acolha e oriente sempre. Esse é o caminho da prevenção.”

Sobre o 18 de Maio

A data foi instituída em 2000 pelo Projeto de Lei 9970/00. A escolha se deve ao assassinato de Araceli Cabrera Crespo, uma menina de oito anos que foi drogada, estuprada e morta por jovens de classe média alta, em 18 de maio de 1973, em Vitória (ES). Esse crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje permanece impune.

Outras atividades

Na semana de 24 a 28 deste mês, haverá uma oficina com os 200 conselheiros tutelares, com foco na Lei nº 13.431/17, regulamentada pelo Decreto nº 9.603/2018. O dispositivo estabelece o Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente e determina a implantação dos mecanismos de escuta especializada e depoimento especial para toda criança ou adolescente testemunha ou vítima de violência, principalmente a violência sexual.

*Com informações da Sejus