25/5/21 17:37
Atualizado em 25/5/21 às 17:37

‘Tocar a Vida na Escola’ levará atividades a 360 jovens no DF

Desenvolvido em parceria, projeto teve lançamento virtual nesta terça (25), pelo Google Meet

“Saber que os jovens estudantes do Distrito Federal vão ter acesso a projetos que estimulam suas habilidades é saber que estamos trabalhando no caminho certo” Marcela Passamani, secretária de Justiça e Cidadania

Em parceria com o Instituto Tocar, o Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente (CDCA), vinculado à Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), lançaram nesta terça (25), via Google Meet, o projeto Tocar a Vida na Escola.

O objetivo é estimular, por meio da aplicação de instrumentos e estratégias pedagógicas, o desenvolvimento de potencialidades de 360 adolescentes  entre 12 e 17 anos, matriculados no Centro de Ensino Fundamental 10, no Guará II; no Centro Educacional Gisno, na Asa Norte, e no Centro de Ensino Fundamental 08, em Sobradinho II.

A proposta consiste em levar às crianças e aos adolescentes conceitos para a compreensão da importância de ter um projeto de vida, a partir do autoconhecimento, da autoestima e do reconhecimento da sua história e construção da sua identidade, na interação com suas famílias, educadores e comunidade em geral.

Arte: Divulgação/Sejus

Aulas on-line

Com o isolamento social causado pela covid-19, as aulas serão ministradas virtualmente, em uma plataforma interativa, ao longo de seis meses.

O projeto tem duração de 12 meses, podendo as atividades ocorrer de forma presencial, quando for possível o retorno às aulas.

O projeto terá ainda redes sociais criadas com a participação da equipe de trabalho formada por psicólogos, pedagogos, professores, arte-educador, terapeuta e assistente social.

Todas as atividades estão ligadas a temas voltados ao autoconhecimento, relações interpessoais e intrapessoais, respeito e empatia.

As vivências serão temáticas, dentro da perspectiva do autoconhecimento e autocuidado – técnicas de como relaxar e respirar melhor, além de práticas meditativas. Cada escola será atendida uma vez por semana.

A secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani, ressalta que as parcerias fortalecem e incentivam o desenvolvimento de projetos que contribuem com a população mais vulnerável.

“Cidadania, educação e inclusão são direitos de todos”, afirma. “Saber que os jovens estudantes do Distrito Federal vão ter acesso a projetos que estimulam suas habilidades é saber que estamos trabalhando no caminho certo, com a prática das ações chegando a quem realmente precisa”.

Habilidades estimuladas

De acordo com a coordenadora do Tocar a Vida na Escola, Ray Oliveira, que já atua como voluntária há 17 anos no Instituto Tocar, os estudantes serão desafiados a cumprir atividades relacionadas a habilidades socioemocionais.

“Ao longo do meu trabalho como professora, fui testemunha de vários conflitos na escola, entre eles, bullying, automutilação, atitudes preconceituosas, conflitos de relacionamento, conflitos em casa que repercutiam no desenvolvimento cognitivo dos estudantes”, conta.

“Percebi, então, que o Instituto Tocar tinha condições de ajudar no enfrentamento à violência no ambiente escolar, aproveitando toda a sua experiência e conhecimentos sobre as emoções, o toque e o afeto na perspectiva de um futuro com adultos mais equilibrados emocionalmente”.

O projeto com o Instituto Tocar foi formalizado por meio de um Termo de Fomento – Marco Regulatório das Relações da Sociedade Civil (Mrosc) nº 25/2020 –, em parceria com a Sejus e o CDCA, publicado em edital.

*Com informações da Secretaria de Justiça e Cidadania