20/6/21 13:04
Atualizado em 20/6/21 às 13:04

Professores se preparam para o Novo Ensino Médio

Formação na Eape voltada para 2.618 educadores terá aula inaugural transmitida pelo YouTube na próxima segunda (21)

Como parte da implementação do Novo Ensino Médio na rede pública do Distrito Federal, a Subsecretaria de Formação Continuada dos Profissionais da Educação (Eape) vai promover um curso específico de formação para 2.618 professores. A aula inaugural será transmitida na segunda-feira (21) às 15h, pelo canal da Eape no YouTube, e poderá ser acompanhada por todos os interessados.

Reduzir as desigualdades educacionais é um dos objetivos do Novo Ensino Médio | Arte: Secretaria de Educação

A abertura terá a participação do secretário de Educação, Leandro Cruz, do secretário executivo, Fábio Sousa, do subsecretário de Educação Básica, Tiago Cortinaz, e da subsecretária da Eape, Hélvia Paranaguá.

“Mesmo tendo a melhor base curricular, o sucesso da implementação do Novo Ensino Médio nas unidades escolares passa pelo investimento massivo na formação dos professores e de servidores que colocarão essas mudanças em prática”, avalia Hélvia Paranaguá.

Idealizado pela Diretoria de Ensino Médio da Secretaria de Educação em parceria com a Diretoria de Organização do Trabalho Pedagógico, o evento tem como objetivo preparar a rede de ensino para o novo modelo de organização pedagógica e administrativa do ensino médio.

“Para colocar em prática os pilares da proposta do Novo Ensino Médio, a formação continuada de professores é essencial, e deve focar no conhecimento pedagógico, no uso de metodologias ativas e no trabalho colaborativo entre pares”Érika Botelho, diretora de Ensino Médio da Secretaria de Educação

O curso abordará tópicos como: bases legais do Novo Ensino Médio; desafios e perspectivas contemporâneas; organização do currículo por áreas de conhecimento e unidades temáticas; e projeto de vida.

A diretora de Ensino Médio, Érika Botelho, antecipa que também serão trabalhadas as possibilidades de criação de itinerários formativos de acordo com a realidade de cada escola.

Para colocar em prática os pilares da proposta do Novo Ensino Médio, a formação continuada de professores é essencial, e deve focar no conhecimento pedagógico, no uso de metodologias ativas e no trabalho colaborativo entre pares, argumenta a diretora.

Inclusão

Entre os principais objetivos do Novo Ensino Médio, estão a garantia da permanência dos jovens na escola, a redução das desigualdades educacionais e a segurança da qualidade de aprendizagem dos estudantes.

Para a efetivação dessas medidas, o processo de consolidação envolve a reorganização curricular e mudanças estruturais. As alterações prometem o fortalecimento de relações sociais e a ressignificação do espaço escolar.

Neste ano, a nova matriz está sendo implementada em 12 escolas-piloto:

CED 03 do Guará
CED 04 de Sobradinho
CEMI do Gama
CEM 03 de Taguatinga
CEM 804 do Recanto das Emas
CED 123 de Samambaia
CEM 01 de Sobradinho
CEM 03 do Gama
CEM 12 de Ceilândia
CEM 304 de Samambaia
CEM 404 de Santa Maria
CED São Francisco

A partir do ano que vem, irá se estender para as demais 80 unidades que ofertam esta etapa, totalizando 92 escolas. A implementação estará completa, para os três anos de curso, no ano de 2024.

A carga horária total do Novo Ensino Médio é de 3.000 horas ao longo de três anos, dividida em dois grandes blocos. O primeiro é de formação geral básica (FGB) com 1.800 horas, que compreende as quatro áreas do conhecimento. Esta parte é obrigatória para todos os estudantes:

Linguagens e suas tecnologias: artes, educação física, língua portuguesa e língua inglesa;
Matemática e suas tecnologias: matemática;
Ciências humanas e sociais aplicadas: filosofia, geografia, história e sociologia;
Ciências da natureza e suas tecnologias: biologia, física e química.

As outras 1.200 horas se referem aos itinerários formativos, que são a parte flexível do currículo. Nesse bloco, os jovens têm a liberdade de escolher as áreas de seu maior interesse, com foco no aprofundamento dos conteúdos. Ao todo, são cinco itinerários, sendo quatro deles nas mesmas áreas de conhecimento. O quinto é a oportunidade de educação profissional e técnica.

*Com informações da Secretaria de Educação