6/7/21 16:20
Atualizado em 6/7/21 às 16:35

Saúde debate vacinação do público de áreas vulneráveis

Reunião discutiu integração de vários órgãos para melhor alcance da população de regiões de difícil acesso

“Vamos fazer um planejamento para que todos tenham acesso à vacinação, pois só assim conseguiremos a imunidade de rebanho” Osnei Okumoto, secretário de Saúde

Nesta terça-feira (6), equipes da Secretaria de Saúde (SES) se reuniram com representantes do Conselho de Saúde do Distrito Federal e das administrações regionais para debater a vacinação contra covid-19 nas áreas de maior vulnerabilidade social, onde existe baixa cobertura vacinal. O encontro contou com a participação de administradores regionais e diretores de Atenção Primária das sete regiões de saúde.

A meta, informa o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, é unir forças e estabelecer uma parceria para divulgar amplamente a vacinação contra covid-19 entre os moradores de áreas vulneráveis do DF.

Representantes da Secretaria de Saúde e dos conselhos de saúde se uniram para garantir a cobertura vacinal das áreas de maior vulnerabilidade | Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

“Vamos fazer um planejamento para que todos tenham acesso à vacinação, pois só assim conseguiremos a imunidade de rebanho”, afirma o secretário. “Sabemos que muitas pessoas de áreas vulneráveis não têm acesso à internet, nem mesmo à televisão. Por isso, essas pessoas serão vacinadas sem necessidade de fazer agendamento, apresentando somente o documento de identificação”.

O gestor enfatiza que é essencial o trabalho dos administradores regionais, em conjunto com a Diretoria Regional de Atenção Primária à Saúde (Dirap) de cada região de saúde, além das rádios comunitárias e do Conselho de Saúde, para ampliar o acesso das pessoas de áreas vulneráveis.

“Com a colaboração de todos e articulando a comunicação, conseguiremos alcançar esse público” Jeovânia Rodrigues, presidente do Conselho de Saúde do Distrito Federal

Áreas rurais

A secretária adjunta de Assistência, Raquel Beviláqua, pontua que cada região de saúde possui suas particularidades, principalmente nas áreas rurais. “Vamos criar pontos específicos de vacinação para atender toda a população vulnerável”, informa.

Na avaliação de Raquel, hoje a rede pública de saúde está bem-assistida, mas é necessário avançar com a imunização, lembrando que a melhor vacina é a que se encontra disponível. Neste mês, está prevista a aplicação de 224.946 segundas doses em todo o DF.

A presidente do Conselho de Saúde do Distrito Federal, Jeovânia Rodrigues,  vê como positiva a participação de vários órgãos nessa campanha para ajudar a ampliar a cobertura vacinal. “Muitas vezes os membros dos conselhos de Saúde são mais próximos da população, principalmente dos moradores de áreas de difícil acesso”, aponta. “Com a colaboração de todos e articulando a comunicação, conseguiremos alcançar esse público”.

*Com informações da Secretaria de Saúde