9/7/21 1:04
Atualizado em 9/7/21 à 8:36

Catadores de material reciclável recebem vacina de dose única

Nesta quinta (8), começaram a ser aplicadas 1,4 mil doses da Janssen em profissionais associados a cooperativas cadastradas

Nesta quarta-feira (8), a Secretaria de Saúde (SES) iniciou a vacinação dos catadores de materiais recicláveis do Distrito Federal. Para esse público, foram destinadas 1,4 mil doses da vacina Janssen, aplicada em dose única. A Diretoria de Saúde do Trabalhador (Disat) realizou um inquérito soroepidemiológico com todos os catadores de recicláveis das cooperativas cadastradas. No DF, há um total de 21 cooperativas.

Segundo o diretor da Disat, Luiz Carlos Alimandro Júnior, todos os trabalhadores cooperados foram testados para a covid-19. “Como a Disat já trabalha com os catadores de recicláveis há muito tempo, o Ministério Público do Trabalho e a Secretaria de Saúde acharam por bem que iniciássemos a imunização desse público, uma vez que já havia um controle sendo executado há algum tempo”, explica.

O diretor-presidente do SLU, Silvio Vieira, considera que a vacinação dos catadores é muito importante para os trabalhos da coleta seletiva serem realizados com mais tranquilidade: “Esses trabalhadores estão diariamente com a mão na massa e, mesmo utilizando todos os equipamentos de proteção individual, ainda existia certo receio de serem contaminados.”

Emocionada, a catadora de recicláveis Valdineide Plácido Alves, 43 anos, comemora: “O privilégio de tomar a vacina que só precisa de uma dose e ficar imunizada é muito bom” | Fotos: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

Silvio Vieira acrescenta que o Governo do Distrito Federal reconhece a importância e os riscos dessa atividade. “Por isso hoje eles estão aqui recebendo essa imunização, para continuarem os trabalhos com mais tranquilidade”, afirma. A expectativa é que a ação seja realizada também na tarde desta sexta-feira (9).

Moradora da Cidade Estrutural, Valdineide Plácido Alves, de 43 anos, trabalha como catadora de recicláveis há quatro anos. Emocionada, ela fala sobre o momento de receber a vacina. “O privilégio de tomar a vacina que só precisa de uma dose e ficar imunizada é muito bom. Agora é continuar se cuidando e trabalhar mais tranquila”, pondera.

Para Miriam Ribeiro de Araújo, de 44 anos, também moradora da Cidade Estrutural e que trabalha em cooperativa há dois anos, a imunização é o caminho para vencer o coronavírus. “O melhor para todos nós, agora, é tomar essa vacina e continuar se cuidando, porque o mais importante é a nossa saúde. Agora vamos trabalhar mais tranquilos”, conclui.

*Com informações da Secretaria de Saúde