9/7/21 10:12
Atualizado em 9/7/21 às 10:12

GDF leva serviços e ações às mulheres do Assentamento Chapadinha

Primeira edição do Secretaria da Mulher no Campo atendeu 550 pessoas com serviços de saúde, oficinas profissionalizantes e emissão de documentos

“O governo passou a ver a gente, então, alavancamos o nosso próprio negócio. Isso é uma conquista para todos nós”Maria do Carmo de Souza, moradora do Assentamento Chapadinha

Maria do Carmo de Souza tem 65 anos e há 16 tira seu sustento da terra. Ela aprendeu a plantar mandioca, pimentão e batata. Depois, passou a fazer virar dinheiro os produtos que nascia no seu terreno. Hoje, vende banana, repolho, tomate e outros hortifrutis em feiras pela cidade. “O governo passou a ver a gente, então, alavancamos o nosso próprio negócio. Isso é uma conquista para todos nós”, comemora.

A produtora rural foi uma das moradoras do Assentamento Chapadinha, localizado no Lago Oeste, em Sobradinho, que recebeu a ação de lançamento do programa Secretaria da Mulher no Campo.

O evento contou com a participação das Secretarias de Turismo (Setur); Saúde (SES); Educação (SEEDF); Justiça (Sejus); Segurança Pública (SSP); Desenvolvimento Social (Sedes); Mobilidade (Semob) e do Trabalho (Setrab); além da Emater, Defesa Civil, Conselho Tutelar, Caesb, Administração de Sobradinho e Sobradinho II e parceiros não governamentais.

A Emater-DF levou ao assentamento oficinas técnicas de cultivo de suculentas e outras culturas, além de promover inclusão das mulheres em projetos e ações da empresa | Fotos: Divulgação/ Secretaria da Mulher

“A gente reconhece a importância de trazer as iniciativas para a área rural. Estamos aqui lançando este projeto para dar visibilidade e reunir as pastas do governo para trazer políticas, ações, serviços, oportunidades e cuidados para as comunidades rurais”, reforçou a secretária da mulher, Ericka Filippelli.

“O Fórum Permanente das Mulheres do Campo e do Cerrado existe desde 2015 e foi criado, justamente, porque, se as políticas públicas, muitas vezes, não alcançam as mulheres da cidade, imagina a dificuldade que é para chegar às mulheres do campo”, acrescentou a secretária.

“É muito importante que essas ações venham até nós, até a área rural. Um evento como esse, com tantas secretarias reunidas para apoiar a comunidade, pode mudar a vida dessas mulheres”Janaína Romualdo, coordenadora do acampamento Marielle Franco, em São Sebastião, e diretora de reforma agrária da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar do Distrito Federal e Entorno (Fetraf-DFE)

Janaína Romualdo, de 38 anos, é coordenadora do acampamento Marielle Franco, localizado em São Sebastião, além de diretora de reforma agrária da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar do Distrito Federal e Entorno (Fetraf-DFE). Ela luta para que a população rural do DF alcance mais oportunidades e destaca a importância da presença governamental para auxiliar as mulheres do campo.

“É muito importante que essas ações venham até nós, até a área rural. Porque são mulheres que, muitas vezes, ficam esquecidas, têm dificuldade de locomoção, pouco acesso à informação e não têm acolhimento ou auxílio para saúde tão próximo. Um evento como esse, com tantas secretarias reunidas para apoiar a comunidade, pode mudar a vida dessas mulheres”, afirma.

Atendimento
Ao todo, 550 pessoas foram atendidas durante a primeira ação do Secretaria da Mulher no Campo. Elas tiveram acesso a abordagem psicossocial, conversas educativas sobre direitos, legislação e formas de combate à violência de gênero; além de receber orientações sobre como participar das oficinas de capacitação, gratuitas e virtuais, voltadas à autonomia financeira e econômica da mulher, oferecidas pela SMDF.

As mulheres também puderam fazer inscrições no Cadastro Único, da Sedes e no Programa Prospera, da Setrab. Os moradores do assentamento ainda participaram da oficina de pintura oferecida pela SSP.

Representantes de oito secretarias do GDF, além de Emater, Defesa Civil, Conselho Tutelar, Caesb, Administração de Sobradinho e Sobradinho II e parceiros não governamentais participaram do evento

A Secretaria de Saúde promoveu diversas ações voltadas à prevenção e ao cuidado com a saúde da mulher e ofereceu agendamento de exame citopatológico, vacinação contra influenza e hepatite, além da realização de testes rápidos de hepatite B e C, HIV e sífilis.

Ainda teve palestra com sucesso de público: mulheres, homens e crianças foram orientados sobre como manter a saúde bucal e receberam kits de higiene dental ao final das explicações.

Incentivo a talentos

A Emater-DF esteve presente e levou ao assentamento oficinas técnicas, como a de cultivo de suculentas, mas também ofereceu atendimentos sobre cultivos diversos e inclusão de produtores em projetos e ações da empresa. O Assentamento Chapadinha é referência na produção de orgânicos e recebe assistência da Emater-DF.

“A vitória da Secretaria da Mulher é a vitória da Emater-DF, é a vitória do governo, que se une para levar oportunidade e dignidade para o campo”Denise Fonseca, presidente da Emater-DF

A presidente da empresa, Denise Fonseca, destacou a importância da união de órgãos do governo para levar serviços essenciais para as mulheres do campo e toda a comunidade.

“A vitória da Secretaria da Mulher é a vitória da Emater-DF, é a vitória do governo, que se une para levar oportunidade e dignidade para o campo. Essa ação vai fortalecer a inclusão da mulher em políticas públicas. Temos muito ainda a conquistar, mas juntos ainda vamos fazer muito mais”, ressaltou.

Os artistas locais também puderam aproveitar a oportunidade para solicitar a emissão da carteira de artesão. O documento oferece a esses trabalhadores a oportunidade de participar de feiras locais, regionais e nacionais e dar visibilidade a suas produções.

A Setur colocou as ações de qualificação do artesanato à disposição das mulheres e homens do Assentamento Chapadinha. “Nossa equipe está aqui para identificar as pessoas que precisam de um olhar mais atencioso e tenham o desejo de se qualificar no ofício de artesão para receber a Carteira Nacional do Artesão. A carteira é um passaporte para a dignidade, autonomia econômica e empoderamento pela profissionalização”, afirmou a secretária Vanessa Mendonça.

A iniciativa é realizada de acordo com as demandas apresentadas pelas mulheres participantes do Fórum Distrital Permanente das Mulheres do Campo e do Cerrado. Além do Secretaria da Mulher no Campo, foi lançado no mesmo evento o selo do Fórum, elaborado com a participação de suas integrantes e que será usado para identificar os produtos elaborados por elas.

No dia 16 de julho, o Secretaria da Mulher no Campo estará no Assentamento Oziel Alves, em Planaltina. Em agosto, haverá ações no Núcleo Rural Fazenda Larga, Planaltina; no Assentamento 1° de Julho, em São Sebastião, e no Assentamento Renascer Palmares, em Planaltina, com datas a serem confirmadas.

*Com informações da Secretaria da Mulher