15/7/21 20:40
Atualizado em 16/7/21 à 0:28

Um novo passo para construir o Complexo Hospitalar Centro-Sul

Nove empresas foram autorizadas a participar dos estudos para viabilizar o projeto. A expectativa é que a unidade atenda mais de 300 mil pessoas

“A demanda pela elaboração de um projeto de parceria visando à construção de um novo hospital surgiu de representantes da população da capital, juntamente com a Secretaria de Saúde”Roberto Andrade, secretário de Projetos Especiais

Nove empresas foram autorizadas a participar dos estudos para viabilizar o projeto do Complexo Hospitalar da Região de Saúde Centro-Sul. A unidade, que vai ajudar a reduzir o deficit no atendimento da rede pública, deve ser construída no Guará. O objetivo é atender cerca de 372.457 mil pessoas, moradoras da Candangolândia, Núcleo Bandeirante, Park Way, Riacho Fundo, Riacho Fundo II, Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) e Setor Complementar de Indústria e Abastecimento (SCIA).

As empresas selecionadas tiveram seus nomes divulgados no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta quinta-feira (15). Na publicação estão as diretrizes para subsidiar os estudos de modelagem técnica, econômico-financeira e jurídica, com objetivo de estruturar o projeto para a construção, manutenção e operação da unidade de saúde.

“A demanda pela elaboração de um projeto de parceria visando à construção de um novo hospital surgiu de representantes da população da capital, juntamente com a Secretaria de Saúde”, lembra o secretário de Projetos Especiais, Roberto Andrade. “O papel da secretaria é coordenar e elaborar esses projetos, que caracterizam a comunhão de esforços entre governo e iniciativa privada para viabilizar investimentos em infraestrutura e serviços.”

A estrutura deve ter 382 leitos – 230 para internação, 25 de unidades de terapia intensiva (UTIs), 15 de unidades de cuidado intensivo (UCIs), 72 de pronto atendimento e 40 para diálise

Nessa primeira fase do projeto, que é o Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), as empresas interessadas apresentaram, até o mês passado, a documentação necessária. A estruturação da proposta fica a cargo da Secretaria de Projetos Especiais (Sepe), que, em parceria com a Secretaria de Saúde (SES), vai viabilizar a concepção do projeto. As empresas terão quatro meses para desenvolver os estudos, que serão apresentados em consulta e audiências públicas. A licitação do complexo hospitalar será feita pela Secretaria de Saúde.

Estrutura

A área destinada à construção do centro hospitalar é de 70 mil metros quadrados. O tamanho da unidade vai depender dos projetos apresentados pelas empresas selecionadas. Segundo levantamento feito pela Secretaria de Saúde, a estrutura deve ter 382 leitos – sendo 230 para internação, 25 de unidades de Terapia Intensiva (UTIs), 15 de unidades de cuidado intensivo (UCIs), 72 de pronto atendimento e 40 para diálise.

O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, destaca a importância do complexo, que atenderá oito regiões administrativas para as quais o Hospital Regional do Guará é referência. “O projeto tem o objetivo de suprir a demanda da população, com ampliação de leitos de internação e inclusão de especialidade médicas ofertadas apenas em outros hospitais de maior porte”, reforça.

* Com informações da Secretaria de Projetos Especiais