22/7/21 9:45
Atualizado em 22/7/21 às 12:41

Empresas já podem começar os estudos para a reforma e gestão da Prainha

Área, localizada no Setor de Mansões do Lago Norte, terá ampliação de estrutura para melhor atender o público e atrair turistas de outras regiões

Foi publicada nesta quinta-feira (22) no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) a autorização para que duas empresas desenvolvam estudos de modelagem técnica para revitalização e gestão da Prainha Norte. A RNGD Consultoria de Negócios Ltda e o consórcio 2M Participações –formado pelas empresas B&M Participações Ltda, Ibiza Construtora Ltda e TRB Construtora Eirelli-ME – têm até 19 de novembro deste ano para entregar o projeto.

“Essa é uma parceria que vai trazer melhorias para a população sem que haja cobrança para quem frequentar o local; e, além disso, vai diminuir custos para o Distrito Federal”, esclareceu o secretário de Projetos Especiais, Roberto Andrade.

Foto: Tony Oliveira / Agência Brasília
Um dos problemas enfrentados atualmente no local é a falta de estacionamentos. Os frequentadores usam o acostamento da via para estacionar os carros | Foto: Tony Oliveira / Agência Brasília

A proposta de Parceria Público-Privada (PPP) é que a vencedora da licitação explore a área comercial e, em troca, garanta investimentos e a preservação ambiental do local, que inclui a fauna e a água do lago. No local há quiosques com serviço de bar e restaurante, uma quadra de vôlei, campo de futebol, dois banheiros e pista de corrida e caminhada.

Melhorias

A Praia Norte é localizada no Setor de Mansões do Lago Norte e atende aos moradores do Lago Norte, Itapoã, Varjão e Paranoá, além de receber visitantes diariamente em busca de atividades esportivas. No entanto, a área possui diversas carências de condições de acessibilidade, conforto e segurança.

Um dos problemas enfrentados atualmente no local é a falta de estacionamentos. Os frequentadores usam o acostamento da via para estacionar os carros. Mas, na proposta, há uma área com cerca de 18.300 m2, localizada do lado oposto à Prainha, destinada a estacionamento público e construção de passarela para que haja segurança na travessia.

Na parte da Prainha, o projeto prevê o cercamento para controle do acesso, mas sem cobrança de ingresso. A medida dará mais segurança aos frequentadores e impedirá um dos grandes problemas, que é a invasão do espaço pelos carros com som alto, churrascos e fogueiras à beira do lago.

Confira, na arte, abaixo, as obras previstas no projeto.

* Com informações da Secretaria de Projetos Especiais