24/9/21 15:45
Atualizado em 24/9/21 às 15:45

DF Legal e SLU se unem no combate ao descarte irregular

A partir de acordo técnico, servidores da autarquia poderão realizar a constatação da infração e informar à secretaria, que multará o contraventor

“Antes, os infratores desrespeitavam nossos servidores, pois o poder de fiscalização é da DF Legal. Não estamos tomando atribuições, mas compartilhando o poder de fiscalização”Silvio Vieira, presidente do SLU

A Secretaria DF Legal firmou com o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) acordo de cooperação técnica para aumentar o poder de fiscalização no combate ao descarte irregular de resíduos sólidos em todo o Distrito Federal.  A partir da publicação, em 22 de setembro, no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), o servidores do SLU poderão realizar a constatação da infração e informar à DF Legal, que multará o contraventor.

A cerimônia simbólica de assinatura ocorreu nesta sexta-feira (24), com a presença do secretário da DF Legal, Cristiano Mangueira, e o presidente do SLU, Silvio Vieira, na sede da pasta.

Segundo o Acordo de Cooperação Técnica nº 04/2021, os servidores do SLU, ao observarem o descarte irregular de resíduos sólidos, seja por pequenos infratores ou grande geradores, preencheram um ato preparatório – um documento informando que foi constatada uma irregularidade ambiental – e enviará para a DF Legal. Com o documento em mãos, os inspetores poderão preencher a multa e enviar para o responsável.

O acordo técnico assinado pelos representantes da DF Legal e do SLU faz parte da política de integração dos órgãos do GDF, determinada pelo governador Ibaneis Rocha | Foto Ascom /DF Legal

O secretário Cristiano Mangueira destacou o trabalho em conjunto entre membros dos dois órgãos, proporcionando a confecção do acordo.

“A parceria com o SLU foi fundamental para que esse documento se tornasse possível. Sabemos que o trabalho da nossa pasta é árduo e, com a ajuda de vocês, teremos mais 100 agentes de campo para fiscalizar o descarte irregular de resíduos.”

O presidente do SLU, Silvio Vieira, ressaltou que a parceria não toma as atribuições da DF Legal, mas sim reforça o trabalho da pasta e valoriza o papel dos servidores da autarquia.

“Os nossos servidores serão empoderados, ao poderem lavrar o termo de constatação de descarte irregular de resíduos sólidos. Antes, os infratores desrespeitavam nossos servidores, pois o poder de fiscalização é da DF Legal. Não estamos tomando atribuições, mas compartilhando o poder de fiscalização”, afirmou Silvio Vieira.

O acordo técnico de cooperação tem validade de 60 meses, podendo ser renovado

O processo de confecção do acordo de cooperação foi elaborado com a participação do subsecretário de Fiscalização de Resíduos Sólidos, José Ribamar. Ele comemorou a chegada do reforço: “Fizemos muitas reuniões, sempre ajustando os pontos principais. Às vezes faltam pernas para nossa fiscalização e, ainda, tivemos a covid-19, que nos atrapalhou.”

José Ribamar ressalta que, a partir de agora, “o SLU e a DF Legal poderão atuar em conjunto, com a confecção desse ato preparatório, para quando encontrarem irregularidades informarem os nossos inspetores. É um acordo em defesa do meio ambiente, do Distrito Federal e do planeta.”

O acordo técnico de cooperação tem validade de 60 meses, podendo ser renovado. A medida faz parte da política de integração dos órgãos do GDF, determinada pelo governador Ibaneis Rocha.

Nesse sentido, o secretário Cristiano Mangueira renovou, ainda, a oferta para que o SLU possa adotar a tecnologia do talonário eletrônico, já utilizado nas fiscalizações da DF Legal.

A partir de um aplicativo, os servidores da pasta realizam a aplicação de multas e demais ações fiscais, em tempo pouco maior que um minuto. O próprio aparelho pode ser editado com um pré-preenchimento, necessitando apenas da inserção dos dados do contribuinte.

O aplicativo evita ainda rasuras e edições. Ele ainda pode funcionar off-line, enviando automaticamente os dados assim que conectado à internet.

A oferta foi bem recebida pelo presidente do SLU, que estudará a melhor forma de integração entre os sistemas.

*Com informações da Secretaria DF Legal