Fale com o Governo Ações em Destaques

9/12/21 às 14:12, Atualizado em 9/12/21 às 18:19

Uma casa de verdade

Após um mês, parceria entre projeto social e GDF entrega unidade de acolhimento reformada e bem mais aconchegante para crianças e adolescentes

Agência Brasília* I Edição: Débora Cronemberger

As paredes cinza ganharam cores suaves, mas harmoniosas. A fachada, antes séria, agora tem um grafite estilizado. As camas velhas foram substituídas por novas. Enfim, o que é normatizado pelo nome de Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes (Saica), a partir de agora também pode ser chamado de lar. Nesta quarta-feira (8), após conclusão da reforma, a unidade da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) instalada no Recanto das Emas foi entregue aos jovens moradores.

Espaço foi renovado e proporciona mais conforto aos usuários | Foto: Renato Raphael/Sedes

“Há cerca de um mês entramos aqui pela primeira vez e vimos uma repartição pública ideal, mas não uma casa, ainda mais para crianças”, lembra a psicóloga Ariadne Pereira. “Faltava cor, calor, aconchego e conforto. Esse foi nosso ponto de partida”, complementa o arquiteto Valter Strunk. O casal paulista é responsável pelo projeto Arquitetando o Mundo, que percorre voluntariamente o Brasil levando melhorias físicas a instituições que abriguem crianças sem vínculos com a família.

Na Saica, a dupla cuidou da pintura interna e externa, da readequação da parte elétrica, do serviço de marcenaria e serralheria dos novos móveis e de outros pequenos ajustes. Para o serviço, eles contaram com apoio de servidores da própria unidade, de pessoas presas em processo de reinserção social e do departamento de apoio da Sedes, além de voluntários e dos próprios moradores.

Muitos materiais foram adquiridos por meio de doações: insumos ou dinheiro por meio das chamadas vaquinhas virtuais. Entre os bens arrecadados, destaque para uma TV de 50 polegadas comprada por uma servidora pública, o sofá novo pago por um brasileiro que mora nos Estados Unidos e as cortinas vindas da loja de itens para o Lar Stermann.

“Eu sempre morei em unidade de acolhimento. Nem sabia que uma casa tinha tudo isso”, conta uma das adolescentes acolhidas, de 16 anos.

As ações ainda contaram com o apoio da artista plástica Yla Violet e do chef de cozinha Sebastian Parasoli.

“Regar uma planta, descansar a cabeça na almofada ou deitar-se no sofá. Parece tão simples, né. Mas para essas crianças não era, pois não tínhamos isso. Temos o necessário para o dia a dia. Agora, existe um lar aqui”, destaca a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha. “Aqui é a definição perfeita da palavra parceria. Estado, sociedade civil e empresariado. Todos trabalhando por um mesmo objetivo”, completa.

Até esta sexta-feira (10), o Arquitetando o Mundo finaliza os últimos ajustes antes de seguir para o Mato Grosso. “Provavelmente, vamos para algum lugar na Chapada dos Guimarães. Estamos em contato com algumas prefeituras, para acertar nossa ida”, finaliza Ariadne.

*Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Social

 

Últimas Notícias