Fale com o Governo Ações em Destaques

15/1/22 às 16:48, Atualizado em 15/1/22 às 17:54

Vacinação itinerante no Sol Nascente/Pôr do Sol

Carro da Secretaria de Saúde circulou com vacinas pelas ruas da cidade. Três pontos de imunização foram montados disponibilizando 500 vacinas

Lúcio Flávio, da Agência Brasília I Edição: Carolina Jardon

“Vai passando o carro da vacina contra a covid-19, temos a primeira dose, segunda dose, dose de reforço e temos ainda três pontos físicos de vacinação”. A voz que saía do megafone chegou como um sopro de esperança nos corações e braços de milhares de pessoas em várias ruas do Trecho II do Sol Nascente/Pôr do Sol neste sábado (15). Tudo graças a ação itinerante realizada, das 9h às 17h, com carro da vacinação da Secretaria de Saúde do DF. Ao todo, seis profissionais da pasta estiveram envolvidos na iniciativa que continua na próxima semana.

“É de grande valia para gente, muito gratificante mesmo atender a população dessa maneira inovadora no DF atendendo a população de casa em casa”, comentou animada, Lucilene Florêncio, Superintendente de Saúde da Região Oeste que cobre as regiões administrativas de Ceilândia, Sol Nascente/Pôr do Sol e Brazlândia | Fotos: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília

Além de proteger quem ainda não se imunizou com nenhuma das doses ou aguarda pela vacina de reforço, a força-tarefa volante convoca e orienta quem passa de carro, ônibus ou motocicletas, sobre a disponibilidade de três pontos de vacinação montados nas cidades. Um na Igreja Ebenézer, chácara. 125, outro na Igreja Presbiteriana Sol Nascente, chácara 89 e uma terceira na Associação de Crianças Nova Canaã, na chácara 98.

Tanto na van da SES-DF quanto nos três pontos montados é possível encontrar as vacinas da Pfizer, CoronaVac, AstraZenica e Janssen. Ao todo, 500 doses foram disponibilizadas em toda a operação deste sábado. Para participar da campanha basta estar com um documento de identificação e cartão de vacina

Cuidando da população

“É de grande valia para gente, muito gratificante mesmo atender a população dessa maneira inovadora no DF atendendo a população de casa em casa”, comentou animada, Lucilene Florêncio, Superintendente de Saúde da Região Oeste que cobre as regiões administrativas de Ceilândia, Sol Nascente/Pôr do Sol e Brazlândia.

“A gente percebe a dificuldade de acesso a vacina por parte da população vulnerável dessa região e a necessidade de ter todos imunizados para conseguir êxito na nossa prevenção. Essa é a nossa função”, diz Lucilene.

Moradora da chácara 98, no Setor Nova Canaã, a aposentada Lúcia Maria Silva de Souza, 60 anos, ficou surpresa ao receber a notícia de que a vacina estava passando bem na sua porta. Mãe de um filho acamado, por conta de um grave acidente de moto, a idosa agradeceu a ação prestativa do GDF. “Do jeito que ele está, fica complicado levar para um posto de saúde”, explicou. “Então é excelente essa ideia, muito bom mesmo, uma benfeitoria grande para nós da comunidade do Sol Nascente que é muito carente”, agradeceu.

Impossibilitada de andar pela idade e por uma série de complicações de saúde, a idosa Olívia Pereira da Silva, 87 anos, recebeu a vacina em casa

Por onde a van passava, grupos de pessoas iam se formando, despertadas pela curiosidade. Ao se informar do que se tratava, muitos saiam correndo para buscar documentos pessoais e cartão de vacina para não perder a oportunidade.

Foi o que aconteceu com o professor de Educação Física, Aílton Veras, 41 anos, no momento em que passeava com os cachorros. “Não pensei duas vezes, corri lá em casa e peguei os documentos”, comentou. “Tenho pouco tempo durante a semana. Tentei vacinar, mas a fila estava enorme, não sabia dessa iniciativa, que é muito boa, agiliza muito para quem só vive na correria”, elogiou.

À frente da equipe formada por oito profissionais de saúde na Associação de Crianças Nova Canaã, o sanitarista, Romário Rocha também comentou sobre a relevância da unidade volante e dos três pontos estratégicos montados na Região Administrativa.

“A importância é que com essa ação estamos levando vacina aos territórios mais vulneráveis da região, para mais perto das pessoas, inclusive, para aquelas que não podem se locomover”, destacou.

Impossibilitada de andar pela idade e por uma série de complicações de saúde, a idosa Olívia Pereira da Silva, 87 anos, recebeu a vacina em casa. “Uma maravilha essa novidade, um olhar sensível aos mais carentes e para os que não conseguem sair de casa, ficamos feliz por essa ajuda”, comento o policial penal, Milton Bueno, 43 anos, genro da dona Olívia.

Últimas Notícias