Fale com o Governo Ações em Destaques

20/1/22 às 20:44

Rede pública fez mais de 47 mil testes de covid em janeiro

Número é mais que o dobro de todo o mês de dezembro e 14 vezes mais do que novembro. Percentual de casos positivos fica em 16%.

Agência Brasília* | Edição: Rosualdo Rodrigues

Nos 19 primeiros dias de janeiro, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal realizou 47.241 testes de covid-19. É mais que o dobro de todo o mês de dezembro, com registro de 21.233 testes, e mais de 14 vezes o total de novembro, quando foram feitos 3.228 testes. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (20), durante coletiva de imprensa.

Os dados sobre testagem para covid-19 na rede pública foram apresentados durante coletiva de imprensa pelo secretário de Saúde, Manoel Pafiadache, e equipe | Foto: Sandro Araújo/Agência Brasília

“Nós temos os testes. Estão à disposição da população”, reforçou o secretário de Saúde, Manoel Pafiadache. Além das unidades básicas de saúde (UBSs), as farmácias parceiras somam 373 testagens, com 16% de resultado positivo. É a mesma porcentagem registrada nas unidades da Secretaria de Saúde. No momento, a pasta dispõe de 700 mil testes, entre estoque e distribuídos às unidades básicas.

“Cuidar do servidor da saúde que está na ponta da linha é garantir a continuidade da assistência. É uma obrigação de todos nós, da gestão, da sociedade, dos governantes” Manoel Pafiadache, secretário de Saúde

Leitos

O secretário-adjunto de Assistência à Saúde, Fernando Erick Damasceno, ressaltou que, apesar do aumento do número de casos de covid-19 não ter levado a uma subida proporcional na ocupação de leitos e de registros de óbitos, o sistema de saúde está sob pressão.

“A síndrome gripal aumenta muito a necessidade de atendimento na atenção primária”, afirmou. O DF tem 15.806 casos confirmados de influenza, sendo 226 causados pelo vírus H3N2 e 886 situações de coinfecção dessa gripe e a covid-19.

Ele defendeu que a população valorize o trabalho dos servidores. “Na primeira onda, o trabalhador de saúde era um herói. Nós precisamos resgatar isso”, pediu e reforçou a necessidade de manter o relacionamento respeitoso com as equipes. “Cuidar do servidor da saúde que está na ponta da linha é garantir a continuidade da assistência. É uma obrigação de todos nós, da gestão, da sociedade, dos governantes”, completou o secretário, Manoel Pafiadache.

Do total de 366 enfermeiros convocados, após aprovação em concurso público, cerca de 300 já assumiram seus postos. Haverá ainda a convocação de mais 23 médicos e de 362 técnicos de enfermagem. Até 28 de janeiro, sairá o edital do processo seletivo para efetivação de mais 100 médicos, sendo 70 de clínica geral e 30 emergencistas.

5.177.306 doses de vacina foram aplicadas no DF até agora

O plano de mobilização de leitos, anunciado na semana passada, já teve as fases 1A e 1B ativadas. A segunda fase está em mobilização. Ao todo, são sete fases, com possibilidade de atingir até 217 leitos de UTI. Há ainda leitos contratados na rede privada.

Vacinação

O novo comportamento da pandemia no DF, com número maior de pacientes tendo sintomas leves, é apontado pela equipe técnica da Secretaria de Saúde como resultado direto da campanha de vacinação. Foram aplicadas 5.177.306 doses, sendo 12.074 em crianças de 5 a 11 anos. Da quinta-feira passada até esta quinta-feira, foram 105.394 doses aplicadas, uma média superior a 15 mil por dia.

Mesmo assim, ainda há 200 mil moradores do DF acima de 12 anos sem registro da primeira dose. “A vacinação é um ato individual, que impacta na vida da comunidade e das pessoas que, por algum motivo de saúde, não podem se vacinar”, disse o diretor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, Fabiano dos Anjos.

Outras 140 mil pessoas acima dos 12 anos também estão aptas a receber a segunda dose, porém ainda não compareceram aos postos. O intervalo é de quatro semanas para quem tomou a CoronaVac e de oito semanas para quem recebeu a Pfizer ou AstraZeneca.

O diretor de Vigilância Epidemiológica lembrou que as 10 mil pessoas imunossuprimidas que já tomaram a dose adicional devem retornar para a dose de reforço após intervalo de quatro meses.

CoronaVac para crianças

A subsecretária de Atenção Integral à Saúde, Paula Lawall, informou que apesar de a Anvisa ter autorizado o uso da vacina CoronaVac para crianças de 6 a 17 anos, o início da aplicação depende da orientação técnica do Ministério da Saúde. A Rede de Frio da Secretaria tem 540.700 doses do imunizante disponíveis.

Últimas Notícias