Fale com o Governo Ações em Destaques

8/2/22 às 20:11, Atualizado em 8/2/22 às 22:01

Avenida Hélio Prates sofre interdição para obras de drenagem

Fechamento de trecho de 340m por 15 dias começa às 8h; motoristas vão precisar usar rota alternativa entre Avenida P1 e o entroncamento com a QNN 28

Agência Brasília* | Edição: Saulo Moreno

Em função da obra de requalificação da Avenida Hélio Prates, o Governo do Distrito Federal (GDF) vai interditar um trecho de 340 metros da Via P1, no Setor Habitacional Sol Nascente, a partir das 8h desta quarta-feira (9), durante um período de 15 dias. A intervenção é necessária para ligação da nova rede de drenagem da Hélio Prates à rede existente.

Imagem: Secretaria de Obras e Infraestrutura do DF

O impacto maior será para os motoristas que trafegam pela saída norte do Setor Habitacional Sol Nascente em direção à Hélio Prates, já que parte da rotatória de acesso à avenida estará interditada. Desta forma, como rota alternativa, o condutor deverá seguir pela Avenida P1 até o entroncamento com a QNN 28.

“Não será necessário realizar qualquer obra nessa interdição”, explica o subsecretário de Fiscalização e Acompanhamento de Obras, Ricardo Terenzi. “O desvio se dará pelas vias já existentes. Todo o percurso será sinalizado com cones e placas para facilitar o tráfego pela região.”

Os trabalhos

O primeiro trecho da reforma da Avenida Hélio Prates, da Via N3 até a M1 em Ceilândia, está sendo preparado para ganhar pavimentação em concreto na pista da direita, incluindo as faixas de desaceleração. São 3,8 km de vias que passam por drenagem e terraplanagem para receber 29 mil m² do material, que vai garantir durabilidade ao piso, fortalecendo a segurança ao tráfego de veículos mais pesados, como o BRT. O investimento nesta primeira etapa da obra é de R$ 14,3 milhões, gerando cerca de 150 empregos.

A reforma total da avenida – que homenageia um ex-governador da capital e que cruza Taguatinga, ligando o Sol Nascente/Pôr do Sol ao Pistão Norte – tem investimento superior a R$ 68 milhões e expectativa de empregar cerca de 900 pessoas. O local abriga diversas instituições de ensino, saúde e esporte, além de residências e estabelecimentos comerciais, razão pela qual apresenta alto índice de circulação de pessoas e carros.

Serão feitos serviços de drenagem, ampliação e remodelação de calçadas e estacionamento, pavimentação, construção de via marginal, ciclovia, mobiliário urbano, paisagismo, arborização e sinalização em 7,2 km de pista.

*Com informações da Secretaria de Obras e Infraestrutura do DF

Últimas Notícias