Fale com o Governo Ações em Destaques

17/2/22 às 15:12, Atualizado em 17/2/22 às 17:10

Famílias fortes e amparadas, sociedade melhor e mais segura

GDF promove diversos programas para apoiar avós, pais e filhos a se desenvolver junto com sua cidade. Confira!

Flávio Botelho, da Agência Brasília I Edição: Rosualdo Rodrigues

A família é a base da sociedade, já preconiza o artigo 226 da Constituição Federal. Com esse tipo de organização, o ser humano vem se desenvolvendo ao longo da história da humanidade. Algumas se organizam com pais e filhos, outras com avós, filhos e netos. Seja como for a configuração, o Governo do Distrito Federal (GDF) desenvolve políticas públicas buscando o fortalecimento de vínculos e a proteção integral desses grupos. Esse é o trabalho da Secretaria Extraordinária da Família (Sefam), vinculada à Casa Civil.

“Para amenizar os impactos nas famílias do DF, desenvolvemos projetos que levaram à população serviços gratuitos e a conscientização sobre o papel e a importância da família”, diz o secretário extraordinário da Família, Martins Machado

Criada em meio à pandemia, a secretaria realizou um importante trabalho, em 2021, com mais de 1,1 mil pessoas atendidas. “Para amenizar os impactos nas famílias do DF, desenvolvemos projetos que levaram à população serviços gratuitos e a conscientização sobre o papel e a importância da família”, resume o secretário extraordinário da Família, Martins Machado. “Em 2022, teremos vários cursos profissionalizantes, e já estão em andamento novos projetos que beneficiarão a população”, anuncia.

A pasta foi criada por meio do decreto nº 41.425, de 25 de setembro de 2020, e pauta suas ações baseadas nos três eixos de atenção à família: formação, desenvolvimento e fortalecimento. A expectativa para este ano é chegar ao mínimo de 3,3 mil atendimentos.

Criada em meio à pandemia, a Secretaria Extraordinária da Família realizou em 2021 mais de 1,1 mil pessoas atendidas. Para este ano, a expectativa é chegar a, no mínimo, 3,3 mil atendimentos | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Uma das principais iniciativas da pasta é o SOS Família, programa social feito em parceria com o Instituto Semeadores do Amor que leva assistência social, psicossocial, jurídica (por meio dos conselhos tutelares e defensoria pública), de educação e de saúde a famílias em situação de vulnerabilidade social.

No ano passado, oito encontros aos finais de semana foram realizados em diversas regiões administrativas do DF, como Ceilândia, Samambaia, Santa Maria, Recanto das Emas e Sol Nascente/Pôr do Sol.

“Por meio da assistência social, pudemos entender as dificuldades e fazer os encaminhamentos aos setores responsáveis do governo, ouvindo efetivamente as demandas da comunidade”, afirma o coordenador de Formação, Desenvolvimento e Fortalecimento da Família, Mateus Lolas

O coordenador de Formação, Desenvolvimento e Fortalecimento da Família, Mateus Lolas, explica o diferencial dessa ação em termos de família. “Por meio da assistência social, pudemos entender as dificuldades e fazer os encaminhamentos aos setores responsáveis do governo, ouvindo efetivamente as demandas da comunidade”, afirma.

Outro projeto em prática é o Amor Pela Família, que, por meio de mentorias, fortalece o vínculo entre adolescentes e seus familiares. Atualmente, cerca de 300 jovens e suas famílias são atendidos no Centro de Ensino Médio (CEM) 12 de Ceilândia. Durante as etapas de atendimento, são combatidos a falta de diálogo, o uso de drogas, o consumo patológico de meios digitais, o bullying, a automutilação e o suicídio.

Secretário extraordinário da Família, Martins Machado: “Em 2022, teremos vários cursos profissionalizantes, e já estão em andamento novos projetos que beneficiarão a população”| Foto: Divulgação

Trabalho e família

Atuando na diretriz da empregabilidade, o Escola Digital DF é uma iniciativa da pasta, realizada em parceria com a instituição Obras Sociais Jerônimo Candinho, que visa incentivar a segurança financeira familiar. No âmbito do programa, foram oferecidos 600 cursos na área digital, como marketing, design gráfico e empreendedorismo, para pessoas de 16 a 65 anos residentes no DF.

Mateus Lolas explica o motivo pela escolha da oferta de cursos digitais para a iniciativa: “São cursos de alta absorção, em um período em que o ambiente virtual está valorizado. Isso gera capacitação, encaminhamento para o mercado de trabalho e segurança econômica para as famílias”.

Ainda há vagas para os cursos. Está interessado? Basta acessar o site da Escola Digital e seguir as orientações.

Últimas Notícias