Fale com o Governo Ações em Destaques

30/3/22 às 16:31, Atualizado em 30/3/22 às 17:35

Servidores com deficiência visual participam de capacitação

Escola de Governo investe na tecnologia para ajudar no acesso ao uso da ferramenta Sistema Eletrônico de Informações (SEI)

Agência Brasília* | Edição: Chico Neto

“Estou certa de que esse curso vai ajudar a integrar ainda mais o trabalhador com deficiência visual ao dia a dia das repartições” – Adriana Faria, secretária-executiva de Valorização e Qualidade de Vida

Servidor do Departamento de Defesa Agropecuária da Secretaria de Agricultura (Seagri) há mais de dez anos, Willian Pereira de Oliveira é um dos deficientes visuais que integram a primeira turma de capacitação com tecnologias assistivas da Escola de Governo do Distrito Federal (Egov). Destinado à formação completa para utilização do Sistema Eletrônico de Informações (SEI), o curso teve início na segunda-feira (28), com previsão de conclusão na sexta-feira (1º/4).

As aulas contam com tecnologia desenvolvida para ampliar a acessibilidade dos alunos | Foto: Simone Avancini/Egov

“Antes eu utilizava o SEI com a lupa e ajuda de colegas; agora, vou ficar mais independente, e o serviço, mais produtivo”, comemora Willian. “A gente vai ficar de igual para igual com os outros colegas do departamento. Estamos aprendendo a usar todas as funções”.

O moderno curso, que utiliza a tecnologia NVDA (acesso não visual ao ambiente de trabalho) de leitor de tela, visa ampliar a acessibilidade na administração pública distrital, promovendo a inclusão.  “Estamos orgulhosos com a implementação dessa tecnologia”, afirma a diretora-executiva da Egov, Juliana Tolentino.

“A inclusão desse segmento é de suma importância na elaboração de políticas públicas por meio do sistema eletrônico de informações” – Flávio Santos, secretário da Pessoa com Deficiência

Colega de turma de Willian, David Moreira trabalha no programa Pró-Vítima, da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus). Ele perdeu 100% da visão em 2016 e, desde então, está adaptando sua rotina. “Para mim, esse curso é muito bom, porque finalmente vou utilizar todos os recursos sem precisar da ajuda de ninguém”, diz. “Fico feliz e aguardo outros cursos semelhantes aqui na Escola de Governo.”

Demanda

A diretora executiva da Egov reforça: “Esse curso é pioneiro e inovador, fruto de um trabalho minucioso do Departamento de Desenvolvimento e Formação da Escola de Governo em conjunto com a Unidade Central de Gestão do Processo Eletrônico e Inovação da Secretaria Executiva de Gestão Administrativa (Segea). A Egov, desde o início da gestão, oferta os cursos em Libras, e agora a tecnologia assistiva chegou para atender a demanda de servidores com deficiência visual”.

Garantir a inclusão de pessoas com deficiência é uma das prioridades do GDF, afirma a secretária-executiva de Valorização e Qualidade de Vida, Adriana Faria. “Estou certa de que esse curso vai ajudar a integrar ainda mais o trabalhador com deficiência visual ao dia a dia das repartições”, diz.

Para o secretário da Pessoa com Deficiência, Flávio Santos, a iniciativa é um marco para o GDF: “A inclusão desse segmento é de suma importância na elaboração de políticas públicas por meio do sistema eletrônico de informações”, avalia. “De forma igualitária, todos estarão incluídos nesse processo”.

Condições de igualdade

O curso está sendo ministrado pelos instrutores da Egov Clodoaldo Leandro da Silva e Janaina Ferreira de Sousa. “Essa capacitação tem uma representatividade significativa porque vai trazer dignidade aos servidores com deficiência visual que atuam na administração pública distrital”, reforça Clodoaldo, que é deficiente visual.

“A pessoa com deficiência tem capacidade de trabalho, e é fundamental mitigar a distância entre uma pessoa com visão e outra com a visão comprometida”, destaca o servidor.

“Além de a acessibilidade ser um direito, o curso é importante para que esses servidores tenham plena autonomia para o desenvolvimento de suas atividades e possam ainda requerer e acompanhar pedidos de férias e abonos sem a necessidade de que outras pessoas façam por eles”, resume Janaina de Sousa, servidora da Unidade Central de Gestão de Processo Eletrônico e Inovação da Segea.

*Com informações da Escola de Governo

Últimas Notícias