Fale com o Governo Ações em Destaques

19/8/23 às 14:41, Atualizado em 19/8/23 às 14:58

Malha cicloviária do DF estimula políticas de valorização do ciclista

Comemorada neste sábado (19), data celebra prática esportiva e também alerta para a necessidade de respeito no trânsito. DF tem a segunda maior rede de ciclovias do Brasil

Victor Fuzeira, da Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno

Este sábado é o Dia Nacional do Ciclista, comemorado anualmente no dia 19 de agosto. No Distrito Federal, a mobilidade urbana é um tema levado a sério. Não à toa, Brasília conta, hoje, com a segunda maior malha cicloviária do país e está próxima de superar a cidade de São Paulo com a maior extensão, em quilômetros, de ciclovias e ciclofaixas.

Os ciclistas Chico Souza e Nilson Caldeira fazem parte do grupo de pessoas que já trocaram o carro ou a moto pela bike e comemoram o crescimento da quantidade de ciclovias e ciclofaixas em todo o DF | Fotos: Joel Rodrigues/Agência Brasília

A política de valorização do ciclista promovida pelo Governo do Distrito Federal (GDF) já resultou na implementação de 664,77 km em ciclovias distribuídas em 30 regiões administrativas. A programação é inaugurar, em breve, outros 105 km de faixas de ciclomobilidade, que farão a capital subir no ranking nacional. Serão 19 novos trechos contemplando as cidades de Samambaia, Planaltina, Octogonal/Sudoeste, Taguatinga/Samambaia e Plano Piloto.

“Não nos interessa apenas aumentar nossa malha cicloviária, mas mantê-la, preservá-la. Queremos ter ciclovias que sejam seguras e úteis à população, permitindo que elas tenham interligação entre elas e que possibilitem um deslocamento adentrando nas zonas urbanas” Denyson Franklin de Souza, subsecretário de Terminais

O investimento do GDF na construção de novas pistas não é apenas estimular a prática esportiva, mas valorizar, também, quem fez da bicicleta seu principal meio de locomoção. “Há uma preocupação nossa em proporcionar uma mobilidade ativa nas nossas cidades”, enfatiza Denyson Franklin de Souza, subsecretário de Terminais da Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob).

“Não nos interessa apenas aumentar nossa malha cicloviária, mas mantê-la, preservá-la. Queremos ter ciclovias que sejam seguras e úteis à população, permitindo que elas tenham interligação entre elas e que possibilitem um deslocamento adentrando nas zonas urbanas”, prossegue.

Novos trechos

Recentemente, o GDF entregou à população duas novas ciclovias: a primeira liga o Núcleo Bandeirante à Candangolândia. O trecho, com 3,3 km de extensão, foi batizado de Abdel Karajah, em homenagem ao ex-administrador das duas regiões administrativas.

Dono de uma loja de bicicletas, o ciclista Chico Souza considera que a adesão às bikes como meio de transporte tem crescido

A outra faixa inaugurada contempla os moradores de Águas Claras. Ela liga a terceira saída da cidade à Estrada Parque Taguatinga (EPTG). A obra foi executada pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF).

“Todas as obras que o DER realiza contemplam a implementação de ciclovias, seja em serviço de pavimentação ou de readequação urbana. O objetivo é sempre criar infraestrutura adequada para prática do ciclismo, democratizando o acesso ao transporte e ampliando as opções de deslocamento”, destaca a superintendente interina de obras do DER-DF, Paula Emanoela.

Quem depende da bicicleta para se locomover, comemora o investimento local na valorização do ciclismo. “Esse investimento é muito positivo. As pessoas precisam entender que a ciclovia não é apenas uma necessidade do esportista, do atleta, mas é uma questão de mobilidade urbana”, relata o ciclista Nilson Caldeira, 54 anos, que, desde 2012, ajuda a coordenar grupos de ciclismo no Guará.

Proprietário de uma loja de bicicletas, Chico Souza, 50, tem visto o negócio crescer nos últimos meses. “A gente tem notado um crescimento na adesão à bike como meio de transporte. Hoje, com a questão do trânsito, que tem crescido com o aumento da população, a bicicleta é sem dúvidas a melhor alternativa. Aqui no Guará, eu vejo muitos moradores que já trocaram o carro ou a moto pela bike”, diz.

Conscientização

O Dia Nacional do Ciclista foi instituído em data que marca o aniversário da morte do ciclista Pedro Davison, ocorrido em 2006, vítima de atropelamento na Asa Sul. Lembrar a data, além de uma homenagem, é uma forma de conscientizar ciclistas e motoristas sobre o respeito às normas de convivência.

Nilson Caldeira, que ajuda a coordenar grupos de ciclistas no Guará, diz que o investimento do governo em ciclovias é muito positivo: “As pessoas precisam entender que a ciclovia não é apenas uma necessidade do esportista, do atleta, mas é uma questão de mobilidade urbana”

No DF, o trabalho de conscientização sobre direitos, deveres e cuidados que ciclistas e motoristas devem ter no trânsito é constante. Desde junho de 2022, por exemplo, as cinco concessionárias de transporte público coletivo do DF realizam cursos de treinamento para seus motoristas com simulações práticas envolvendo a dinâmica entre ônibus e ciclistas no trânsito.

Na oportunidade, os condutores assumem o lugar do ciclista e simulam deslocamentos de bicicleta enquanto os ônibus passam pela via. O curso é realizado individualmente pelas concessionárias, em suas respectivas garagens. A última edição do treinamento foi realizada na última sexta-feira (18). Na ocasião, participaram 130 rodoviários.

“Os motoristas do transporte público coletivo do DF recebem constantes treinamentos para que dirijam com respeito a todos os ocupantes das vias públicas, além dos cuidados com os passageiros, em especial as pessoas idosas e com deficiência que utilizam os ônibus da capital”, defende o secretário da Semob, Flávio Murilo Prates.

Em paralelo, o Detran também realiza constantemente palestras de conscientização. Para este domingo (20), em comemoração à data, o departamento promoverá um passeio ciclístico por pontos turísticos da capital. A programação tem início às 9h, quando agentes de trânsito e 1,5 mil ciclistas sairão do Estacionamento 12 do Parque da Cidade rumo à Esplanada dos Ministérios, passando por pontos turísticos.

Esta será a 13ª edição do Bike do Detran, realizado em todas as regiões administrativas do DF. Na ocasião, além do passeio, serão promovidas ações de conscientização sobre a importância do respeito aos ciclistas.

“Precisamos lembrar sempre de que, no trânsito, o mais forte sempre protege o mais fraco. Esse passeio busca conscientizar os ciclistas e os demais modais de trânsito. Motoristas e pedestres precisam respeitar o ciclista, precisam entender que a bicicleta também é um veículo. É necessário que todos saibam seus cuidados e responsabilidades”, afirma Paula Nunan, diretora de Educação de Trânsito do Detran.

Malha cicloviária do DF estimula políticas de valorização do ciclista

Últimas Notícias