Fale com o Governo Ações em Destaques

7/10/23 às 13:40, Atualizado em 7/10/23 às 14:13

Arte e diversão valorizam culturas afro-brasileira e indígena no CEI 1

Evento realizado neste sábado (7), em São Sebastião, mostrou aos pais o resultado de projeto que estimula uma educação antirracista

Catarina Loiola, da Agência Brasília I Edição: Débora Cronemberger

Dia de festa no Centro de Educação Infantil (CEI) 1 de São Sebastião, conhecido como Centrinho. Neste sábado (7), ocorreu a celebração do XI Projeto de Valorização das Culturas Afro-brasileira e Indígena – iniciativa realizada pela escola desde 2013. O evento foi marcado por brincadeiras, apresentações de capoeira, carimbó, maracatu, percussão, entre outros ritmos, além de exposição das pinturas, desenhos e esculturas feitas pelos estudantes.

Apresentações de carimbó, maracatu e percussão marcaram a manhã deste sábado no CEI 1 de São Sebastião | Fotos: Geovana Albuquerque/Agência Brasília

Uma das apresentações que emocionou a plateia foi sobre o livro Olelê – Uma antiga cantiga da África, de Fábio Simões. A história conta as aventuras de um velho negro que incentivava seu povo a vencer o mar agitado enquanto entoavam a cantiga Olelê.

A auxiliar administrativa Beatriz Tavares se emocionou com a apresentação do filho Murilo, que estuda na escola

Uma das mães que não contiveram as lágrimas foi a auxiliar administrativa Beatriz Tavares, 27. Esta foi a primeira vez que ela viu uma apresentação escolar do filho, o pequeno Murilo, 5 anos. “Mexeu muito comigo. Mostra que ele, e as outras crianças, estão crescendo sabendo da nossa origem, da nossa cultura”, afirmou.

Já a auxiliar de cozinha Mytafa Pierre, 36, conta que se sentiu abraçada com o evento. Mãe da pequena Love Shanaica Casimir, 4, ela é haitiana e veio para o Brasil há sete anos. “Me deixa muito feliz ver que estão ensinando para nossas crianças que todos têm o mesmo valor – o branco, o preto, o amarelo. É muito importante que eles aprendam isso desde cedo”, ressaltou.

Iniciativa contou com pinturas, desenhos e esculturas feitas pelos estudantes

O projeto

Com apoio da Secretaria de Educação (SEDF), o projeto visa o cumprimento das leis nº 10.639/03, sobre a obrigatoriedade do estudo da cultura afro-brasileira, e nº 11.645/08, que inclui também os povos indígenas.

“Trabalhamos muito a questão da identidade, da autonomia, do autorreconhecimento, da valorização da cultura e das contribuições da cultura africana e indígena para tentar promover uma educação antirracista”, explica a diretora do Centrinho, Cleyde Cunha. Durante a pandemia do novo coronavírus, o projeto ocorreu de forma remota.

“Me deixa muito feliz ver que estão ensinando para nossas crianças que todos têm o mesmo valor”, diz a haitiana Mytafa Pierre, com a filha Love Shanaica Casimir

Ao longo de todo o ano, os alunos aprendem histórias sobre heróis negros e indígenas, além de que tem contato amplificado com expressões artísticas dos povos indígenas e de tribos africanas. Além disso, logo no começo do calendário letivo, os professores passam por uma formação sobre o conteúdo antirracista, a fim de que sejam capazes de replicar o conhecimento em sala de aula.

O resultado são alunos orgulhosos da própria cultura e identidade, conforme conta a coordenadora pedagógica do Centrinho e uma das idealizadoras da iniciativa, Francineia Alves. “As crianças começam a aceitar o próprio cabelo, a cor. Percebemos um empoderamento em sala de aula e as famílias costumam nos contar que se sentem representados. Alguns pais matricularam os filhos aqui justamente porque conhecem o nosso projeto e sabem o quão importante é tratar desses assuntos na infância”, explicou.

Localizado no Bairro Residencial Oeste de São Sebastião, o Centrinho, atualmente, atende 528 alunos de 4 e 5 anos, nos períodos matutino e vespertino. O Projeto de Valorização das Culturas Afro-brasileira e Indígena recebeu o Prêmio Educar em 2022 – uma honraria concedida a escolas que trabalham a equidade racial e de gênero, criada pelo Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (Ceert).

Arte e diversão valorizam culturas afro-brasileira e indígena no CEI 1

Últimas Notícias