Fale com o Governo Ações em Destaques

21/11/23 às 15:36

Pronto-socorro pediátrico do HRC tem novos fluxos para agilizar atendimento

Agendas de médicos também estão sendo programadas para acolher demandas espontâneas

Agência Brasília* | Edição: Carolina Lobo

O pronto-socorro da pediatria do Hospital Regional de Ceilândia (HRC) está aplicando novos fluxos ao atendimento de usuários, conforme a classificação de risco. Os pacientes sem risco de agravo, com classificação verde, são agora direcionados à consulta nas unidades básicas de saúde (UBSs) da Região Oeste de Saúde do Distrito Federal. Aqueles identificados com risco amarelo são encaminhados ao ambulatório do HRC, pela rota rápida.

Os protocolos vigentes desde o final de outubro e alinhado neste mês contribuem para melhorar a alta demanda da assistência hospitalar. Consequentemente, uma estrutura mais adequada é oferecida ao atendimento de casos graves, com classificação de risco laranja ou vermelha, isto é, que necessitam de intervenção médica contínua ou imediata.

Crianças acolhidas pelo pronto-socorro do Hospital Regional de Ceilândia que recebem a classificação verde são redirecionadas à UBS mais indicada | Foto: Davidyson Damasceno/IgesDF

Com quadro de vômito e diarreia, Anna Laura de Sousa, 4 anos, foi levada pela mãe, Myrelle de Sousa, ao pronto-socorro da pediatria do HRC no início de novembro. Em menos de duas horas, após consultar médico especialista em saúde da família da UBS 7 de Ceilândia, já apresentava melhora dos sintomas. “Eu não sabia da novidade. Funcionou muito bem para mim e para a minha filha”, relatou a mãe, que tem o hábito de procurar assistência de urgência na unidade hospitalar.

De acordo com o novo protocolo, as crianças acolhidas pelo pronto-socorro do HRC que receberem a classificação verde são direcionadas à UBS de referência (preferencialmente) ou à outra com possibilidade de dar assistência. O procedimento ocorre por intermédio da Equipe de Gerenciamento de Casos (EGC) da Gerência de Acesso e Qualidade da Atenção Primária à Saúde da Região Oeste (Geaqaps). Dessa forma, o responsável recebe em mãos o formulário de transferência, com todas as informações necessárias ao atendimento, sem precisar passar por nova triagem ao chegar na unidade indicada.

Reorganização

A reorganização foi pensada para garantir o atendimento do maior número possível de pacientes, de maneira rápida e eficiente, segundo a Secretaria de Saúde | Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

As agendas de médicos pediatras do ambulatório estão sendo programadas de acordo com novas demandas espontâneas, vindas do pronto-socorro. Cada profissional escalado é capaz de oferecer 15 vagas por período. Caso verifique alguma alteração que julgue necessário um acompanhamento constante, o profissional conduz o paciente ao pronto-socorro para internação.

“Essa reorganização foi pensada para garantir o atendimento do maior número possível de pacientes, de maneira rápida e eficiente. Estamos buscando outras maneiras de cuidar da população com os recursos que já dispomos”, afirma a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio. A chefe da pasta ratifica, ainda, que já está sendo estudada a implantação da ferramenta em outras áreas.

Regionalização e hierarquização do SUS

As UBSs são a porta de entrada do usuário ao Sistema Único de Saúde (SUS). O Distrito Federal conta com 175 unidades básicas, que compõem a Atenção Primária à Saúde (APS) e atuam como centros de cuidados, onde é possível buscar atendimento médico inicial, orientações e tratamentos essenciais.

Cada UBS é responsável pela assistência à saúde de uma população definida. Para encontrar sua unidade de referência, definida pelo endereço de moradia, acesse o portal do InfoSaúde.

*Com informações da Secretaria de Saúde do Distrito Federal

Últimas Notícias