10/5/16 15:12
Atualizado em 25/5/16 às 11:39

Saúde imuniza contra o H1N1 74% do público-alvo

Último boletim divulgado pela secretaria confirma 95 pessoas com a doença em 2016

Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

Desde 18 de abril, 450.223 pessoas foram vacinadas na rede pública do Distrito Federal contra o vírus H1N1. O número corresponde a 74% da meta da Secretaria de Saúde para este ano até o fim da campanha em 20 de maio.

O objetivo da pasta é imunizar pelo menos 80% das 609.105 pessoas de risco: crianças de 6 meses a 5 anos incompletos, gestantes, mulheres até 45 dias pós-parto (puérperas), profissionais de saúde, idosos a partir de 60 anos, pacientes com comorbidades (com doenças crônicas não transmissíveis, a exemplo de diabetes e hipertensão), povos indígenas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Profissionais de saúde e puérperas foram os que mais receberam vacinas: 100% e 82,4%, respectivamente. Os idosos são os que menos buscaram a vacinação, com 65,9%.

O medicamento é importante para prevenir a doença, confirmada em 95 pessoas em 2016. Sessenta e cinco delas foram diagnosticadas como casos graves, o que leva à internação do paciente. Os dados constam do Boletim Epidemiológico Influenza nº 17.

Dos casos graves, 14 ocorreram em idosos; oito, em menores de 5 anos; e sete, em grávidas. O levantamento ainda apontou que seis pacientes morreram.

A maior parte dos casos ocorreu na Asa Norte (16), em Ceilândia (11) e em Santa Maria (9).

Vacina
A Secretaria de Saúde começou a distribuir 143,4 mil doses da vacina contra o H1N1 nessa segunda-feira (9). O lote veio do Ministério da Saúde e será encaminhado aos postos de saúde do DF. Na semana passada, as medicações estavam em falta na rede pública.

Está prevista a entrega de mais um lote do ministério para a segunda dose de crianças de 6 meses até 3 anos. Segundo a pasta, a remessa é diferente porque as crianças tomam uma quantidade menor da vacina.

De acordo com a gerente de Vigilância Epidemiológica e Imunização, da Secretaria de Saúde, Juliana Soares de França, as doses são entregues às superintendências de saúde conforme uma cota, que avalia a quantidade de habitantes e de casos no local.

Mesmo quem tomou a vacina no ano passado deverá tomar neste ano. “Há modificação dos vírus no ambiente. Então avalia-se até que ponto a pessoa está segura com aquele medicamento. A vacina do ano passado não é igual à deste ano”, afirma Juliana.

Cuidados
Além da imunização contra a gripe H1N1, uma das melhores formas de prevenção é o cuidado com a higiene. Devem-se lavar as mãos com frequência — principalmente antes de consumir algum alimento — e higienizá-las após tossir ou espirrar. Também é fundamental manter os ambientes ventilados e não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas.

Acesse o Boletim Epidemiológico Influenza nº 17.

Leia também:

Saúde confirma 65 casos de H1N1 desde janeiro

Mais uma morte confirmada por H1N1 no Distrito Federal

48,2 mil pessoas foram vacinadas contra o H1N1

Veja a galeria de fotos:

Saúde imuniza contra o H1N1 74% do público-alvo