12/7/16 21:50
Atualizado em 13/7/16 às 13:13

Startups Brasília 2016 tem investimento de R$ 5 milhões

Governador de Brasília lançou segunda edição da seleção pública na noite desta terça-feira (12), no Mezanino da Torre de TV. Cada contemplado poderá receber até R$ 150 mil

O edital Startups Brasília 2016 — seleção pública que dá apoio financeiro ao desenvolvimento de produtos e processos inovadores — terá investimento de R$ 5 milhões. O certame foi lançado nesta terça-feira (12) à noite pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, pela diretora-presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF), Ivone Resende Diniz, e outras autoridades. A entidade é responsável pela iniciativa, que está na segunda edição, e cujas regras foram publicadas no Diário Oficial do DF e detalhadas na página da fundação na internet. O lançamento ocorreu nesta noite, em solenidade no Mezanino da Torre de TV.

O governador Rodrigo Rollemberg durante o lançamento da segunda edição da seleção do Startups Brasília.
O governador Rodrigo Rollemberg durante o lançamento do edital Startups Brasília 2016. Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Quem quiser participar tem até 2 de agosto para enviar uma proposta. A escolha será feita em duas etapas. Na primeira, é preciso entregar formulário preenchido e a apresentação da ideia inovadora em até cinco páginas ou vídeo de cinco minutos. Os selecionados para a segunda etapa terão de enviar um plano de negócios, com ações previstas para 12 meses. Cada contemplado receberá até R$ 150 mil para desenvolver o projeto.

“Não há nada mais inovador do que convocar a juventude para, por meio de novas tecnologias, oferecer produtos e serviços melhores”, pontuou o governador Rodrigo Rollemberg. A proposta do Startups Brasília é selecionar projetos que transformem ideias inovadoras em empreendimentos sustentáveis e que incorporem novas tecnologias. “Buscamos formar um ambiente de inovação e empreendedorismo que estimule as pessoas a criar negócios, renda e empregos”, acrescentou Rollemberg, que lembrou ainda os esforços do governo para implementação do Parque Tecnológico Capital Digital.

A diretora-presidente da FAP-DF destacou a importância do investimento no setor. “Em tempo de crise, a criatividade pode mudar a situação para melhor. Investir em ciência e tecnologia não é despesa, mas estratégia de desenvolvimento”, disse Ivone Diniz.

Também compuseram o dispositivo da solenidade o secretário adjunto do Trabalho, da pasta do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, Thiago Jarjour; os presidentes do Banco de Brasília, Vasco Gonçalves; da Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra), Jamal Bittar; do Conselho Deliberativo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no DF (Sebrae-DF), Luís Afonso Bermúdez; da Associação de Startups e Empreendedores Digitais, Hugo Giallanza; da Associação Brasiliense de Construtores, Afonso Assad; e do Sindicato da Indústria da Informática do DF, Ricardo Caldas; e o superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Distrito Federal (Sebrae-DF), Antônio Valdir Oliveira Filho.

Apoiaram o evento a Casa Civil; as Secretarias do Trabalho; do Esporte, Turismo e Lazer; a Secretaria Adjunta de Ciência e Tecnologia; a Fibra; o Sebrae-DF; e a Associação de Startups e Empreendedores Digitais de Brasília.

Requisitos para participar da Startups Brasília 2016

Podem participar do edital microempresas, empresas de pequeno porte e microempreendedores individuais com sede em Brasília e que atuem na área tecnológica. Até a data de contratação da proposta, é exigido que esses empreendimentos tenham pelo menos dois anos de existência.

Pessoas físicas também podem se inscrever. Nesse caso, elas têm de ser sócias ou proprietárias de empresas emergentes na área e sediadas no DF. Esses participantes poderão formalizar a empresa até a data em que a proposta for contratada pela FAP-DF.

O edital dá prioridade a projetos para as áreas de administração pública; agronegócios; alimentação; biotecnologia; cidades saudáveis; educação; energia renovável; meio ambiente; mobilidade urbana; nanotecnologia; saúde e bem-estar; segurança pública; tecnologia da informação e comunicação; e tecnologia industrial básica.

Na edição de 2015, 43 pessoas foram contempladas com R$ 200 mil cada uma. Na cerimônia desta noite, foi transmitido um vídeo com depoimentos de empreendedores beneficiados no primeiro edital. Com os investimentos, eles relataram que puderam levar adiante ideias como a criação de aplicativos para aluguel de espaços ociosos e para o compartilhamento de arquivos entre funcionários na área de contabilidade.

Campus Party e Congresso Mundial de Tecnologia da Informação

O secretário adjunto do Trabalho, Thiago Jarjour, falou sobre a importância de investimentos na área de tecnologia no momento em que a cidade se prepara para receber grandes eventos. “Em outubro, vamos sediar o Congresso Mundial de Tecnologia da Informação, que reúne 2,5 mil líderes do mercado de tecnologia de diferentes países. Já em novembro teremos um aquecimento para a Campus Party.” Surgido na Espanha em 1997, o festival — considerado base para parcerias de projetos com foco tecnológico — reúne instituições de ensino, jovens, empreendedores, cientistas e entusiastas de novidades tecnológicas.

Brasília receberá uma edição da Campus Party em 2017, com o tema Dados Abertos e Transparência, Trabalho e Educação do Futuro.

Edição: Raquel Flores

Galeria de Fotos

Startups Brasília 2016 tem investimento de R$ 5 milhões