2/12/16 17:31
Atualizado em 3/5/17 às 18:13

Recanto das Emas recebe 500 mudas de espécies do Cerrado

Plantio próximo a áreas de nascentes é uma forma de compensação ambiental pela emissão de dióxido de carbono ocorrida em setembro durante a Virada do Cerrado

Quinhentas mudas foram plantadas nesta sexta-feira (2), próximo a áreas de nascentes do Centro de Convivência Granja das Oliveiras, no Recanto das Emas. A iniciativa faz parte do Mutirão da Virada do Cerrado, que já passou por dez locais em sete regiões administrativas de Brasília. A atividade é uma forma de compensar a emissão de 377, 5 toneladas de dióxido de carbono ocorrida durante a Virada, em setembro.

Plantio de mudas e sementes de espécies nativas do Cerrado faz parto do Mutirão da Virada do Cerrado.
Plantio de mudas e sementes de espécies nativas do Cerrado faz parte do Mutirão da Virada do Cerrado. Foto: Andre Borges/Agência Brasília

Entre as espécies, plantaram-se, por exemplo, mudas e sementes nativas do Cerrado, como angico, carvoeiro, ipês amarelo, branco, rosa e roxo, jatobá, paineira e pau-terra. O material foi fornecido pelo Jardim Botânico de Brasília e pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade do Cerrado e Caatinga. Além disso, o viveiro do Senado doou outras mil. Essa parceria integra o programa Carbono Menos, parte do Núcleo de Coordenação de Ações Socioambientais daquela Casa legislativa.

O centro de convivência tem 80 mil metros quadrados, mas o trabalho priorizou as áreas de nascentes. “Esse lugar já teve sete nascentes, mas, por culpa da degradação, hoje são somente três”, conta a chefe do Serviço de Convivência, Esteyse Glenaise Santana Carneiro. “Nós atendemos no contraturno da escola crianças e jovens em situação de risco, e eles serão envolvidos na manutenção e na preservação dessa área a ser recuperada”, adianta.

A ação é uma iniciativa da Secretaria do Meio Ambiente, com o apoio do Comitê Criativo da Virada do Cerrado, que neste ano contou com mais de 80 organizações, entre sociedade civil, governo, empresas e universidades. Três mil mudas serão plantadas até o fim dos mutirões (veja abaixo a data dos próximos).

De acordo com a pasta, o objetivo do plantio é promover a recuperação do bioma Cerrado e de suas funções ecossistêmicas e, sobretudo, sensibilizar e mobilizar os brasilienses acerca de temas socioambientais, especialmente aqueles que desejam ajudar de alguma forma, mas não atuam no segmento ou não têm familiaridade com esses assuntos.

Com esse tipo de atividade, a secretaria quer preparar as pessoas para fazer os plantios corretamente. Isso porque o índice de mortalidade das mudas é muito alto, já que elas são plantadas em épocas erradas ou em locais não propícios para cada espécie.

O mutirão começou em 13 de novembro pela SQN 206, no Plano Piloto, e prossegue até 11 de dezembro. Qualquer cidadão pode participar. Recomenda-se que os interessados se cadastrem no Portal do Voluntariado.

O plantio de hoje contou, principalmente, com servidores voluntários da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos. Cerca de 60 pessoas participaram da ação, que teve ainda o apoio de mão de obra fornecida pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap); e da Administração Regional do Recanto das Emas, encarregada de rastelar o mato alto.

O comando especializado ficou por conta de técnicos da Secretaria do Meio Ambiente. Eles determinaram os locais e ensinaram métodos para a plantação. “Logo após a Virada do Cerrado, mapeamos e estudamos as áreas a serem recuperadas”, explica Lucas Miranda.

 

Próximos plantios em dezembro

3 (sábado)

Lago Norte

Córrego do Palha

Das 9 às 12 horas

 

4 (domingo)

Asa Norte

SQN 416, ao lado do Bloco O

Das 9 às 12 horas

 

11 (domingo)

Parque da Cidade

Escola da Natureza

Das 9 às 13 horas

Edição: Raquel Flores

Galeria de Fotos

Recanto das Emas recebe 500 mudas de espécies do Cerrado