29/5/20 19:42
Atualizado em 29/5/20 às 20:00

Sanear Dengue visita mais de 1,7 mil residências no Guará

Remoção de carcaças e de lixo também integram o pacote de ações contra o Aedes aegypti

Cerca  de 90 servidores, entre agentes e militares, integraram a força-tarefa contra o mosquito | Foto: AR Guará / Divulgação

O combate à dengue no Guará recebeu mais um reforço importante, nesta sexta-feira (29), com a realização da força-tarefa do programa “Sanear Dengue”. A ação coordenada pela Vigilância Ambiental em Saúde, em parceria com a Administração Regional do Guará e o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), contou com a participação de 90 servidores, entre agentes e militares, nas áreas identificadas com maior número de casos registrados de dengue. Ao todo, 1.768 residências foram vistoriadas.

Durante as visitas, as equipes verificam potenciais focos de proliferação do mosquito Aedes aegypti. Pratinhos de vasos de plantas, caixas d’água, calhas e recipientes que possam acumular água foram vasculhados. Além disso, o morador recebe orientações importantes de prevenção. Diariamente, agentes da Vigilância Ambiental trabalham na inspeção de residências e investigação dos casos.

“A situação da dengue no Guará nos mantém em alerta. O apoio do Sanear Dengue é fundamental para que possamos ampliar o trabalho que é realizado diariamente. A conscientização da comunidade é primordial para reduzirmos as estatísticas”, aponta a administradora regional, Luciane Quintana.

De porta em portão: bombeiros e outros profissionais inspecionam imóveis diversos | Foto: AR Guará / Divulgação

Sucatas

A Administração Regional do Guará já retirou mais de 160 toneladas de lixo das vias públicas. Em 20 de maio, 12 carcaças foram recolhidas no Setor de Oficinas da QE 40, da QE 46 e da QI 2 durante a operação “DF Livre de Carcaças”, coordenada pela Secretaria de Segurança Pública em conjunto com o DF Legal, o Departamento de Trânsito (Detran-DF) e a administração. Todas apresentavam ameaça à saúde pública devido ao potencial risco de proliferação do mosquito e à segurança da comunidade, pois serviam como esconderijo de usuários de drogas.

Ação igual foi realizada em fevereiro deste ano, quando 45 carcaças foram retiradas do pátio de obras da administração regional e encaminhadas para o depósito do Departamento de Estrada e Rodagem (DER/DF), onde agentes da Vigilância Ambiental fazem o controle vetorial. No total, 57 carcaças e sucatas foram retiradas da região administrativa do Guará por meio do programa.

Somadas a essas ações, nos dias 29 e 30 de abril a região administrativa recebeu o programa Sanear-DF, que higienizou 50 locais de grande circulação: unidades básicas de saúde (UBSs), Hospital Regional do Guará, parques ecológicos, vivenciais e urbanos, abrigos de ônibus, sede da administração regional e feira, entre outros.

Água parada é um dos mais propícios ambientes para a proliferação do Aedes | Foto: AR Guará / Divulgação

Confira os dados atualizados pela Vigilância Ambiental, de janeiro a abril, sobre o trabalho realizado no Guará:

✔️Imóveis inspecionados – 16245
✔️ Imóveis fechados – 4673
✔️ Imóveis recusados – 368
✔️ Imóveis em tratamento – 1047
✔️ Imóveis com pendências – 47
✔️Depósito inspecionados – 43938
✔️ Depósitos tratados – 2600

Sintomas

Os principais sintomas típicos da dengue são febre alta, náusea, vômito, manchas avermelhadas pelo corpo, dor de cabeça, dor no corpo, dor em volta dos olhos e sinal de sangramento.

Diante desses sinais o paciente deve buscar atendimento em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima.

 

* Com informações da Administração Regional do Guará